Autor - A&R Aparelhos Auditivos

Otosclerose: conheça os sintomas e os tratamentos mais indicados

Otosclerose: conheça os sintomas e os tratamentos mais indicados

Se você já pesquisou sobre zumbido ou perda de audição, certamente conheceu diversos termos novos: presbiacusia, perda sensorioneural ou dificuldade de condução, essas são algumas das causas mais comuns da perda de audição no Brasil. No entanto, existe outra condição, menos conhecida, que também pode ser a causa desses sintomas: a otosclerose.

Neste artigo, explicaremos o que é essa doença, quais as suas causas e como você pode tratá-la. Caso você sofra com alguns dos sintomas da otosclerose e queira elucidar seu diagnóstico, esse é o momento certo. Caso você já tenha esse diagnóstico, poderemos explicar quais as possibilidades que o tratamento oferece.

Continue lendo para saber mais!

O que é a otosclerose?

Para compreendermos a otosclerose, antes precisamos entender como a audição funciona. Nosso canal auditivo, localizado no que chamamos de ouvido externo, termina em uma fina membrana chamada tímpano. Para trás dessa membrana, lidamos com as áreas que chamamos de ouvido médio e ouvido interno.

Enquanto o ouvido externo é responsável por transmitir o som, o ouvido médio o amplifica. Em seguida, o som amplificado é captado pelas estruturas do ouvido interno, que o transforma em estímulos nervosos. A partir daí, esses estímulos viajam ao cérebro e são compreendidos por ele.

No ouvido médio estão localizados três pequenos ossos, que são fundamentais na transmissão e ampliação do som: são eles o estribo, a bigorna e o martelo. A vibração e o posicionamento adequado desses ossículos são fundamentais para uma audição preservada.

A otosclerose é uma doença caracterizada pela calcificação e crescimento anormal do tecido ao redor do estribo, um dos ossículos. Isso faz com que ele — que normalmente é um ossículo móvel — perca espaço para vibrar e se torne mais fixo. Com isso, o ouvido médio perde capacidade de vibração e, consequentemente, a ampliação do som fica prejudicada.

Quais são as causas da otosclerose?

Quais são as causas da otosclerose?

A maioria das doenças relacionadas à perda de audição tem uma causa ou fatores de risco bem definidos. Eles geralmente estão relacionados a hábitos nocivos à audição ou ao envelhecimento, o que leva a uma perda gradual de nossa capacidade auditiva.

No caso da otosclerose, no entanto, as pacientes mais afetadas são as adultas jovens. Nessa faixa etária, outras causas (como a presbiacusia, por exemplo) são menos comuns. Portanto, a perda auditiva em uma idade mais precoce — especialmente no sexo feminino — levanta a suspeição para otosclerose.

Essa doença também se destaca porque ela não tem uma causa específica, consensual entre os especialistas. O que sabemos é que quem tem um histórico familiar positivo para a doença tem maior probabilidade de desenvolvê-la. Portanto, consideramos que os fatores genéticos têm um papel central no desenvolvimento da otosclerose.

Outros fatores de risco também já foram identificados, mas não sabemos ao certo seu efeito direto na calcificação em torno do estribo. São eles:

  • as doenças metabólicas (como diabetes);
  • os distúrbios vasculares (como a hipertensão);
  • infecções virais;
  • traumatismos locais.

Quais são os sintomas da otosclerose?

Como já mencionamos, o principal sintoma da otosclerose é a perda auditiva gradativa. Conforme o tecido ao redor do estribo se torna maior e mais rígido, essa perda, aos poucos, aumenta. Ela pode ocorrer em um ou em ambos os ouvidos, e geralmente começa com sons de frequências menores — ou seja, os mais graves.

Outro sintoma que pode ocorrer é o zumbido. Acreditamos que ele ocorre devido a uma tentativa das estruturas auditivas em compensar a perda auditiva leve. Nesse caso, o paciente pode, paradoxalmente, ouvir “demais”, o que gera o zumbido.

Por fim, embora sejam menos comuns, os sintomas relacionados ao chamado “trato vestibular” também podem ocorrer. O principal deles é a vertigem, um sentimento subjetivo de movimento quando, na verdade, a pessoa está parada. Isso ocorre porque as estruturas do ouvido não são responsáveis apenas pela audição, mas também pelo equilíbrio.

Como é feito o diagnóstico?

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da otosclerose deve ser feito por um otorrinolaringologista, médico responsável pela audição e pelo ouvido. É comum que sejam necessários alguns exames para identificá-la, como a audiometria e a imitanciometria. Esses exames ajudam, inicialmente, a evidenciar e documentar a própria perda auditiva.

Como a maioria dos pacientes com otosclerose são jovens, é possível que sejam necessários exames de imagem, como uma ressonância magnética. Além de evidenciar a própria calcificação, esses exames também auxiliam o médico a excluir outros diagnósticos possíveis.

Quais são as possibilidades de tratamento?

O objetivo do tratamento da otosclerose é reduzir os sintomas, devolvendo a qualidade de vida e a capacidade funcional à paciente. Nos quadros iniciais, quando há apenas uma perda auditiva leve, é possível contorná-la com o uso de aparelhos auditivos — que captam e ampliam o som, devolvendo uma audição mais nítida e precisa.

O uso de medicamentos orais também pode ser utilizado em alguns casos de otosclerose. No entanto, não há consenso entre os especialistas sobre a eficácia desses medicamentos. Vale a pena consultar seu otorrinolaringologista para discutir se ele é válido ou não para o seu caso.

O tratamento definitivo da otosclerose é a cirurgia. Nela, o estribo é retirado total ou parcialmente, sendo substituído por uma prótese que busca mimetizar seu papel. No entanto, a cirurgia para otosclerose não é isenta de riscos: como qualquer operação, ela tem efeitos colaterais e sua decisão deve considerar riscos e benefícios.

Por esse motivo, a cirurgia é reservada para casos específicos — geralmente quando os sintomas não são controlados com outras modalidades terapêuticas, nas fases iniciais. Portanto, siga sempre as orientações de seu médico e fique alerta.

A otosclerose é uma importante causa de perda auditiva, especialmente em pacientes mais jovens. Embora não conheçamos ao certo suas causas, contamos com terapias eficazes que podem trazer de volta a capacidade auditiva e a qualidade de vida dos pacientes. Caso você tenha alguma dúvida, consulte sempre seu otorrinolaringologista de confiança.

Se você gostou de conhecer mais sobre a otosclerose, certamente seus amigos também gostarão. Por que não aproveita e compartilha esse artigo em suas redes sociais? Nos ajude a disseminar informações de qualidade para todos e todas!

Fique por dentro das vantagens oferecidas pelo aparelho auditivo digital

Fique por dentro das vantagens oferecidas pelo aparelho auditivo digital

O aparelho auditivo digital ajuda a aumentar o poder do som e melhorar a experiência auditiva das pessoas que já não conseguem escutar tão bem. Ele funciona com a ajuda de um microfone, receptor, amplificador e uma bateria que pode ser substituída ou recarregada. Por meio de uma tecnologia moderna, o usuário consegue ter uma melhor percepção das variações dos sinais sonoros, ao trazer voz e som naturais, com configurações personalizadas. 

Diferentemente, no dispositivo analógico, você precisa mexer no produto para aumentar o volume, além de não poder reduzir os ruídos de fundo, o que é bem desconfortável. Quer descobrir as maiores vantagens que o aparelho auditivo digital pode oferecer? Então, continue a leitura do artigo e saiba mais! 

Aumento da informação sonora

Contar com o aparelho auditivo digital é sinônimo de qualidade de vida e bem-estar. Isso porque o dispositivo permite que você consiga ter um aumento da informação sonora. Isso se torna possível graças ao seu amplificador que tem a função de um cérebro computadorizado. 

A partir disso, o equipamento capta os sons do ambiente e faz o processamento em chips internos. Logo após, é percebido que a informação sonora é aumentada pelo amplificador e, em seguida, transmitida ao receptor. 

Assim, a peça consegue atuar de maneira inteligente, dando qualidade ao som natural. Da mesma forma, também é possível controlar suas configurações, para deixá-lo confortável e personalizado, de acordo com as necessidades de cada pessoa.

Redução de ruídos

Ter uma audição limpa — ou seja, sem ruídos que o impeça de ouvir com perfeição — é o sonho de muita gente que tem problemas na audição. Contudo, essa realidade pode ser mudada com um aparelho auditivo digital. Para entender melhor, continue a leitura! 

Esse tipo de produto consegue converter o som em informação eletrônica. Isso significa que há amplificação e transmissão apenas dos sons essenciais, fazendo com que os ruídos de fundo sejam reduzidos, ficando em segundo plano. Assim, o indivíduo consegue ter uma melhor compreensão do que outras pessoas falam, mesmo em ambientes que apresentam muito barulho, pois o equipamento permite um som de qualidade. 

Inovação

Inovação

Há algum tempo, os aparelhos auditivos eram feitos com até quatro microfones, mas isso fazia com que houvesse uma transformação acústica ineficiente e lenta, com muitos ruídos e falhas na comunicação. Com o passar do tempo, esses equipamentos foram inovando e deram lugar a dispositivos mais modernos, seguros, de qualidade e com maiores recursos, que vieram para melhorar a experiência do paciente. 

Hoje, o aparelho auditivo digital é indicado pelo médico conforme as condições clínicas de cada pessoa. Veja alguns tipos:

  • intra-auricular (ITE) — ideal para pessoas com perda auditiva que vai de leve à severa, ele preenche a concha da orelha e é composto por um botão de controle manual; 
  • intracanal (ITC) — esse dispositivo é levemente visível, pois é colocado no canal auditivo, possui um controle de volume e é indicado para pessoas que têm perda da audição leve, moderada ou severa;
  • retroauricular (BTE) — esse é um dos aparelhos mais modernos, pois apresenta diversos tipos de recursos e de potência, e fica localizado atrás da orelha, permitindo que o som seja transmitido próximo ao tímpano.

Aparelho discreto

Se você pensa que usar um aparelho auditivo digital pode modificar sua aparência, pode ficar tranquilo, pois esse equipamento é encontrado em formatos cada vez menores. Assim, é possível adquirir um produto com uma estética agradável para todos os usuários. 

Um exemplo do que estamos falando é o receptor no canal (RIC). Esse dispositivo é feito em miniatura e permite que o som seja ouvido de forma natural. Isso porque ele não deixa o canal do ouvido ficar totalmente tampado. Ele oferece formatos adaptados à necessidade do paciente e com cores variadas. 

Ainda é possível encontrar aparelhos discretos em formato de concha e localizados mais ao fundo do canal auditivo. Todos eles com muita qualidade, eficiência e discrição para o paciente ter uma melhor experiência no seu dia a dia. 

Melhor compreensão da fala

Umas das coisas que mais incomoda quem sofre de perda auditiva é o fato de não poder fazer suas atividades diárias da mesma forma que antes. Isso porque até assistir à televisão é dificultoso, visto que a compreensão da fala não é nítida. 

Contudo, essa situação muda quando você passa a contar com um aparelho auditivo digital. Ele muda a qualidade da acústica, por meio da combinação de microfones com multicanais, que tendem a aperfeiçoar o processo da escuta. 

Conforto

Uma das grandes preocupações de quem tem que usar aparelho auditivo digital é o medo de ele causar desconforto. Contudo, você pode ficar tranquilo. Esses equipamentos são elaborados de forma personalizada para garantir um maior bem-estar aos seus usuários.

Para que isso seja possível, o paciente precisa fazer exames de audiometria e contar com a ajuda de um fonoaudiólogo. Esse profissional conseguirá ajudá-lo a escolher um dispositivo no modelo confortável e que seja o mais indicado para atender às suas necessidades diárias. 

Tecnologia de ponta

Tecnologia de ponta

Já pensou em poder emparelhar o seu aparelho auditivo digital com outros dispositivos, como tablets e smartphones? Pois saiba que isso se torna realidade com esse equipamento altamente tecnológico. A partir dessa conexão, você pode, por exemplo, fazer chamadas telefônicas, controlar o som sem precisar tocar no ouvido, entre outros. 

Tudo isso faz com que você tenha uma maior descrição e comodidade para fazer atividades simples do cotidiano. Isso tende a melhorar a sua experiência auditiva e, inclusive, esquecer-se dessa incapacidade.

Optar por um dispositivo de boa qualidade é de extrema importância para você ter uma melhor qualidade de vida, ao conseguir ouvir as pessoas sem ruídos na comunicação. Por isso, o mais indicado é contar com o aparelho auditivo digital da A&R. A empresa conta com uma seleção de equipamentos altamente tecnológicos, que podem ser adquiridos no conforto da sua casa. Além disso, ela oferece um programa completo de acompanhamento do usuário, por meio do qual é possível ajustar e revisar a peça. O mais legal é saber que, na hora de trocar o equipamento, seja pelo tempo de uso, seja para um upgrade de tecnologia, você tem condições especiais. 

Agora que você já sabe as vantagens oferecidas por esse equipamento, que tal conhecer melhor a A&R Aparelhos Auditivos e descobrir por que ela é a melhor solução para sua perda auditiva? Não perca essa oportunidade!

O que você deve considerar na hora de comprar aparelho auditivo?

O que você deve considerar na hora de comprar aparelho auditivo?

Considerar alguns fatores na hora de comprar aparelho auditivo é de extrema importância para garantir que você tenha um dispositivo de qualidade, resistente, confortável e adequado ao seu estilo de vida.

Assim, ao fazer a análise das opções disponíveis no mercado e outros pontos pertinentes, suas chances de não errar na escolha do produto aumentam. Isso leva você a conseguir ouvir da melhor forma possível e sem ruídos.

Quer saber o que é preciso considerar antes de comprar um aparelho auditivo? Então, continue lendo este artigo e descubra!

Quais são as opções no mercado?

As opções de aparelhos auditivos disponíveis no mercado e suas diferenças são os primeiros pontos que você precisa analisar. Por isso, confira a seguir alguns dos modelos mais usados!

Microcanal (CIC)

Ele tem um tamanho menor e mais discreto, sendo ideal para não chamar atenção. O Microcanal pode ser usado por pessoas que têm perda auditiva que vai de leve a moderada. Contudo, é preciso que o paciente tenha um canal auditivo mais largo para usá-lo.

Retroauricular (BTE)

A potência desse equipamento depende do seu tamanho, ou seja, quanto maior o Retroauricular, mais potente ele consegue ser. Esse modelo fica localizado atrás da orelha, assim, é possível transmitir o som por meio de um tubo fino com sonda ou um molde.

Intracanal (ITC)

O Intracanal costuma ser um pouco maior do que o Microcanal. Contudo, ele também consegue ser muito discreto, pois fica localizado no canal auditivo, além de contar com um botão ou controle para regular o volume. Esse equipamento pode ser usado por pessoas com perda de audição entre leve e severa.

Receptor no Canal (RIC)

O RIC fica situado dentro do canal auditivo. Isso significa que, apesar do seu tamanho reduzido, ele tem uma grande potência, que se adapta à necessidade do paciente e ao grau de perda auditiva.

Como escolher o modelo ideal?

Como escolher o modelo ideal?

Muitas dúvidas surgem na hora de comprar um aparelho auditivo. Por isso, é preciso levar em consideração certos fatores, como modelo, preço e tecnologia. Esses são alguns dos pontos que devem ser analisados para ter o melhor custo-benefício do mercado.

Em relação ao tipo de modelo mais adequado ao seu perfil, você deve contar com a ajuda de um fonoaudiólogo, porque esse profissional vai conseguir indicar o produto mais apropriado à anatomia do seu ouvido. Além disso, para fazer a escolha certa, ele também leva em consideração o grau da perda auditiva do paciente e o histórico de saúde.

Assim, o fonoaudiólogo dará as melhores opções de modelos para escolher, que tenham ótimas funcionalidades e tecnologia de ponta. A partir disso, você poderá optar pelo aparelho de sua preferência que tenha um preço acessível.

Por que você deve considerar seu estilo de vida?

Como já mostramos, o fonoaudiólogo tem um papel fundamental na hora de escolher o aparelho auditivo ideal para o paciente. É por isso que, na hora da consulta, você não pode deixar de comentar com o profissional sobre o seu estilo de vida.

Esse ponto é fundamental, pois, caso você trabalhe ou more perto de ambientes barulhentos, é possível comprar um aparelho auditivo que reduza os ruídos de fundo, amplificando apenas os sons que você deseja.

Outros pontos também interferem na escolha do modelo do dispositivo, como transpiração e execução de algumas atividades diárias. Por isso, não deixe de falar sobre esses fatores com o seu fonoaudiólogo. Isso ajuda a não errar na escolha.

Quanto tempo dura o aparelho?

A durabilidade de um aparelho auditivo costuma ser de três a cinco anos. Contudo, esse período pode variar bastante dependendo de alguns fatores. Em modelos que ficam dentro do conduto auditivo, por exemplo, é perceptível que eles têm uma duração menor se comparados com os que ficam posicionados atrás da orelha. Isso acontece porque os equipamentos intracanais têm um contato maior com a cera do ouvido, o que os deixa mais úmidos.

Além disso, para garantir um aproveitamento melhor do dispositivo, é preciso tomar alguns cuidados, como fazer a higienização correta do equipamento e colocar o desumidificador. Outra dica é se atentar para não esquecê-lo dentro dos bolsos das calças, não deixá-lo perto de animais de estimação nem colocá-lo em ambientes úmidos, como o banheiro. Ao tomar essas medidas, você conseguirá aumentar a vida útil do seu aparelho auditivo.

Curiosidade: é possível realizar a troca do aparelho caso surja um modelo mais tecnológico ou você sinta que sua perda de audição tem aumentado com o tempo. Portanto, tenha atenção a esses fatores e consulte o seu fonoaudiológico regularmente.

Como testar antes da compra?

Como testar antes da compra?

Com a modernidade dos aparelhos e a evolução tecnológica, há empresas que permitem que o paciente faça um teste do produto antes de efetivar a compra. Esse ponto é importante para que você perceba se consegue ter uma boa adaptação à peça e se ela realmente atende suas necessidades.

Para isso, ao iniciar a fase de teste, faça suas atividades normais do dia a dia, como caminhar, passear com a família, fazer compras etc. A partir disso, verifique se houve alguma mudança na forma como você escuta as outras pessoas e os sons ambientes.

Caso sinta algum incômodo, não se esqueça de dizer ao seu fonoaudiólogo, pois, dependendo da queixa, é possível realizar alguns ajustes no aparelho. Se for necessário, também pode ser solicitada a troca do modelo para verificar se consegue ter uma melhora na adaptabilidade.

Para comprar aparelho auditivo ideal para o seu estilo de vida e que traga mais funcionalidade ao seu cotidiano, é fundamental contar com os equipamentos da A&R. Seus modelos são invisíveis e se adaptam de forma simples e imediata. Ao utilizá-los, você também consegue ouvir sua própria voz de forma natural. Além disso, pode fazer a integração dos sons do celular e da televisão diretamente na peça. Tudo isso sem precisar trocar a bateria.

Agora que você já sabe os pontos que precisam ser analisados na hora de comprar esse produto, venha descobrir como a A&R Aparelhos Auditivos pode ajudar a ter uma escuta prazerosa e sem ruídos. Garantimos que não vai se arrepender!

O que é otite de repetição? Saiba quais as causas e como tratar

O que é otite de repetição? Saiba quais as causas e como tratar

A otite de repetição é uma inflamação que normalmente provoca sintomas leves, mas também pode resultar em problemas mais graves quando negligenciada. Por isso, para que você mantenha sua saúde auditiva, é importante entender como essa doença ocorre e qual é o melhor momento para procurar ajuda médica.

Na maioria dos casos, consequências prejudiciais podem ser evitadas se o paciente se prevenir e ficar em alerta com os sintomas da otite. Para ajudar você, separamos as principais informações sobre a otite de repetição. Confira e tire suas dúvidas.

O que é otite de repetição?

A otite de repetição é uma infecção localizada no ouvido médio ou externo, região que estabelece o contato do ouvido com o nariz, mas também pode atingir o tímpano. Embora possa acometer pessoas de todas as idades e de ambos os sexos, esse tipo de otite é mais comum em nadadores e crianças de até três anos.

No caso dos nadadores, o principal fator de risco da otite de repetição é o excesso de umidade. No caso das crianças, o sistema imunológico frágil aumenta o risco de desenvolver essa inflamação, sem contar que as estruturas do ouvido médio ainda são imaturas e estão em fase de desenvolvimento nos primeiros anos de vida.

Alguns dos quadros clínicos de otite de repetição mais comuns são aqueles decorrentes de infecções causadas por bactérias ou vírus. Uma gripe pode bloquear as tubas auditivas com muco, aumentando o risco da ação dos micro-organismos. Portanto, quando houver infecções, é importante ter atenção aos incômodos no ouvido.

De maneira geral, os fumantes também estão muito suscetíveis à otite de repetição. O cigarro faz muito mal para o canal auditivo e está atrelado a uma série de doenças inflamatórias das vias respiratórias, como rinite, sinusite, pneumonia e otite.

Qual é a diferença entre otite de repetição e otite aguda?

Qual é a diferença entre otite de repetição e otite aguda?A diferença está no tempo de permanência da infecção. Como o próprio nome sugere, a otite de repetição acontece quando a inflamação no ouvido médio ocorre com uma frequência muito alta — pelo menos quatro vezes por ano. Já a otite aguda se caracteriza por uma frequência muito mais baixa da infecção, como duas ou três semanas.

Quais são os sintomas da otite de repetição?

Os sintomas mais comuns da otite de repetição são os seguintes:

Em muitos casos, a infecção no ouvido médio pode provocar sintomas relacionados a doenças respiratórias, como febre, produção de muco, sensação de pressão no ouvido e inchaço das mucosas localizadas nas narinas.

Quais são os tratamentos para a otite de repetição?

De início, a recomendação é procurar um otorrinolaringologista assim que os sintomas aparecerem. Dessa forma, fica fácil saber quais são os meios de cura mais eficazes. Separamos abaixo os principais tratamentos para a otite de repetição.

Uso de medicamentos

A administração de antibióticos é o tratamento mais comum para resolver os sintomas da otite, mas também podem ser receitados analgésicos e anti-inflamatórios. O desaparecimento dos sintomas ocorre alguns dias após o início da medicação.

A recomendação é jamais se automedicar e seguir sugestões de outras pessoas além de um especialista para aliviar os sintomas da otite. O importante é que o paciente tire todas as suas dúvidas na consulta com o otorrinolaringologista e siga à risca o tratamento recomendado de acordo com o diagnóstico.

Spray nasal

Os sprays nasais podem ser recomendados na consulta médica. É comum que sejam usados para tratar os seguintes sintomas — congestionamento, vermelhidão, secreção nasal, espirros e coceira no nariz/ouvido. Eles podem ser utilizados por pessoas de todas as idades, mas sempre a partir da indicação de um especialista.

Timpanoplastia

Nem sempre o uso de antibióticos e sprays nasais trata a otite de repetição. Nesse caso, o otorrinolaringologista avalia com o paciente a possibilidade de realizar um procedimento cirúrgico chamado timpanoplastia, uma vez que a infecção pode ter causado uma perfuração no tímpano. Geralmente, essa possibilidade é estudada quando a infecção se repete de várias formas ao longo do ano.

O paciente que sofre com otite média costuma ter dificuldade de ventilação no ouvido e acúmulo de secreção. A timpanoplastia visa drenar toda a secreção provocada pela otite. Não se trata de um procedimento complexo. Além disso, a maioria dos pacientes não desenvolve complicações no pós-cirúrgico.

Por fim, uma ótima dica para manter a saúde auditiva é evitar o uso de hastes flexíveis ou qualquer outro objeto para eliminar cera de ouvido. Esses materiais aumentam o risco de inflamação no canal auditivo e podem, até mesmo, gerar uma perfuração no tímpano.

Como o aparelho auditivo pode ajudar?

Como o aparelho auditivo pode ajudar?

Em casos graves, a otite de repetição pode resultar na perda de audição, quadro em que o paciente deve buscar um especialista para iniciar sua adaptação ao aparelho auditivo. É a solução para que ele consiga recuperar a qualidade de vida e manter a independência nas atividades do dia a dia.

Isso acontece porque os aparelhos auditivos aumentam a autoestima e a confiança do paciente. É comum que a perda de audição estimule o isolamento social, já que se torna mais difícil interagir em reuniões, eventos e encontros de amigos. Com o aparelho, o paciente pode retomar sua vida social e não corre o risco de desenvolver uma depressão.

É importante que o processo de reabilitação auditiva, por meio da adaptação com um aparelho, seja feito com uma empresa especialista nesse tipo de atendimento. Ele deve incluir o acompanhamento adequado dos casos e a indicação dos aparelhos mais apropriados para cada diagnóstico.

O mais importante de tudo é prezar pela saúde, tomando os devidos cuidados para se prevenir e não agravar patologias. Você viu que, quando falamos de saúde auditiva, a otite de repetição deve ser motivo de alerta. Se você ou algum familiar tem problemas de audição, dê o primeiro passo e vá em busca de uma consulta médica.

Agora que você já sabe o que é otite de repetição, confira o nosso post sobre o aumento da incidência de otite no verão.

Aparelho auditivo Silk o que você precisa saber sobre ele

Aparelho auditivo Silk o que você precisa saber sobre ele

Grande parte das pessoas com perda auditiva hesita bastante em utilizar aparelhos. Algumas temem não conseguir se adaptar, outras têm receio de que o equipamento chame a atenção de outras pessoas para o seu problema. Sabendo dessas dificuldades, a tecnologia tem trabalhado muito para desenvolver produtos cada vez mais eficazes e, ao mesmo tempo, discretos.

É o caso do aparelho auditivo Silk, que ao ser colocado, fica praticamente imperceptível na orelha do paciente, sem que seja preciso encomendar um molde personalizado. Para entender mais sobre o produto, conversamos com Graciane Gomes, fonoaudióloga da A&R Aparelhos Auditivos. Acompanhe o post e saiba o que ela nos contou!

Como funciona o aparelho auditivo Silk?

Trata-se de um aparelho intracanal (CIC), isto é, com tamanho reduzido e que pode ser facilmente colocado dentro do canal auditivo. Apenas uma pequena parte do equipamento fica exposta, sendo bastante difícil de ser visto por outras pessoas. A discrição oferecida faz com que esse modelo seja muito procurado pelos pacientes. Afinal, conforme mencionamos, muitos se sentem apreensivos em utilizar aparelhos, seja pela dificuldade de adaptação, seja pela apreensão de que o tamanho do dispositivo chame a atenção.

O aparelho auditivo Silk é considerado um dos menores do mundo. Ele conta com indicação de cores para orientar o paciente: vermelho para o ouvido direito e azul para o esquerdo. Como cada um é ajustado especificamente para o grau de perda auditiva, que pode ser diferente para cada lado, isso ajuda a identificar qual parte é a correta para cada ouvido.

Outra vantagem é que ele se adapta imediatamente ao ouvido, não havendo a necessidade da espera pela fabricação de um molde, como ocorre com outros modelos. Desse modo, oferece uma experiência auditiva natural e praticamente invisível.

Quais são as vantagens desse aparelho?

Além do tamanho menor que outros aparelhos, o Silk proporciona adaptação instantânea. Isso significa que você já pode utilizá-lo logo na primeira consulta, para não perder mais nenhum momento do que mais importa para você. Graciane Gomes enfatiza que esse aparelho é tão pequeno e confortável que permite, inclusive, que a pessoa use fones de ouvido supra aurais .

Dessa forma, promove um aumento significativo na qualidade de vida do paciente, permitindo que ele realize todas as atividades do seu dia a dia de maneira independente, já a partir do momento que colocar o aparelho ajustado pelo fonoaudiólogo.

Isso porque ele conta com as Sondas Click Sleeve, feitas em silicone flexível, macio e extremamente confortável. As sondas estão disponíveis em 4 tamanhos: XS, X, M e L, todos em versões ventiladas e não ventiladas. “Seu formato é anatômico, sendo capaz de adaptar-se a diferentes tamanhos e formatos de conduto, proporcionando, assim, um encaixe perfeito com máximo conforto e segurança”, explica a fonoaudióloga da A&R Aparelhos Auditivos.

Quais recursos esse modelo oferece?

Quais recursos esse modelo oferece?

O Aparelho Auditivo Silk é considerado um dos melhores do mercado. Contudo, isso não se deve apenas ao seu tamanho e conforto. Os recursos oferecidos promovem uma experiência excepcional aos pacientes. De acordo com Graciane Gomes, a tecnologia Ultra HDe2e realiza uma troca de áudio contínua, com maior velocidade entre os dois aparelhos.

Consequentemente, há uma melhor binauralidade e compreensão da fala. Isso ocorre porque o equipamento tem um poderoso microfone que foca nos sons diretamente à frente do usuário, eliminando o excesso de ruído de fundo.

A profissional acrescenta que a tecnologia Cross Silk se mostra uma excelente solução também para os que sofrem com perda unilateral e zumbido no ouvido, por meio do que há de mais avançado na Terapia Notch. A programação do Aparelho Auditivo Silk é totalmente feita sem fios, via Bluetooth com a interface Connexx Air .

Ele está disponível em três níveis de desempenho: 3, 5 e 7, conforme o perfil do paciente. Além disso, é compatível com o Signia App, para controle remoto, e com a TeleCare, para que o usuário possa se comunicar diretamente com o fonoaudiólogo.

Para quem esse modelo é indicado?

Como sabemos, há vários graus de perda da audição. Do mesmo modo, cada usuário tem suas necessidades particulares. Assim, Graciane Gomes esclarece que: “o Silk é mais indicado para usuários que apresentam perdas leves a moderadas, perdas unilaterais ou para aqueles que realizam terapia com gerador de som para o zumbido”.

Ou seja, o aparelho é um produto médico e, por esse motivo, deve ter indicação do uso por um médico qualificado. Somente após uma consulta com avaliação e investigação detalhada, o fonoaudiólogo poderá concluir que esse aparelho é o que atenderá melhor às demandas do paciente.

Como adquirir o Aparelho Auditivo Silk?

Como adquirir o Aparelho Auditivo Silk?

O Silk é comercializado pela A&R Aparelhos Auditivos, especializada em reabilitação auditiva. A clínica tem 10  filiais espalhadas pelo estado de Minas Gerais e conta com profissionais altamente qualificados para promover mais qualidade de vida aos pacientes com perda auditiva. Então, quem deseja adquiri-lo deve agendar uma avaliação e um teste totalmente sem compromisso. Assim, saberá se o Silk é indicado para o seu caso em particular.

Caso ele seja compatível, é necessário realizar a manutenção do aparelho. Afinal, como qualquer outro modelo, necessita de limpezas periódicas e desumidificação para a retirada da umidade proveniente do suor.

Graciane Gomes alerta que é muito importante comparecer aos retornos com o fonoaudiólogo, a fim de fazer a avaliação do funcionamento do aparelho e analisar a necessidade da troca da sonda ou do protetor de cera. Se o dispositivo apresentar qualquer problema, há garantia que varia de 2 a 5 anos. Nesse caso, o profissional enviará o aparelho para reparo.

Portanto, o Aparelho Auditivo Silk é a solução para quem busca discrição e alta eficiência. Com tecnologia de ponta, esse modelo permite que você tenha muito mais independência em sua rotina e possa realizar todas as atividades das quais se priva em decorrência do problema de audição. Basta colocá-lo para poder aproveitar melhor todos os momentos da sua vida.

Agora que você conheceu todos os benefícios do Aparelho Auditivo Silk, acesse nosso site e descubra mais detalhes sobre o equipamento que pode transformar seu dia a dia!

Consulta auditiva online: entenda como funciona e quais são os benefícios

Consulta auditiva online: entenda como funciona e quais são os benefícios

Você já ouviu falar na consulta auditiva online? Devido ao avanço da pandemia da COVID-19 no Brasil e no mundo, o Conselho Federal de Medicina (CFM) permitiu que as consultas fossem realizadas de maneira online — o que antes era proibido. Com essa facilidade, os pacientes conseguiram dar continuidade aos seus tratamentos e, também, não ficaram sem suporte médico quando mais precisavam. A consulta auditiva online tem ganhado cada vez mais adeptos. Afinal, além de ter acesso facilitado ao fonoaudiólogo, o paciente consegue ter os mesmos resultados que em uma consulta online, sem precisar deslocar-se até a clínica.

Para mostrar a você como funciona a consulta auditiva online da A&R Aparelhos Auditivos, trouxemos a Tamires Santos de Souza Francisco, Supervisora do Canal de Fonoaudiólogas Parceiras da A&R, para contar detalhes sobre esse procedimento. Acompanhe!

Quais são os benefícios da consulta auditiva online?

As vantagens oferecidas pela consulta auditiva online são muitas, e as principais listamos a seguir:

  • possibilidade de transpor barreiras socioeconômicas, culturais e, sobretudo, geográficas, para que os serviços e as informações em saúde cheguem a toda população;
  • maior satisfação do usuário;
  • redução nas filas de espera;
  • redução do tempo para atendimentos ou diagnósticos especializados;
  • evitação de deslocamentos desnecessários de pacientes e profissionais de saúde.

Como fazer a consulta auditiva online na A&R Aparelhos Auditivos?

Como fazer a consulta auditiva online na A&R Aparelhos Auditivos?

Tamires explica que “os pacientes que já são usuários de prótese auditivas na A&R têm seus exames todos arquivados, então as consultas são feitas baseadas nos exames preexistentes”.

Continua dizendo que, “para os pacientes novos, os profissionais precisam que eles já tenham em mãos os exames necessários, enviando-os, assim, para avaliação por e-mail com antecedência à consulta. O diagnóstico é baseado na anamnese que é feita na consulta e nos exames complementares”.

Normalmente, os exames solicitados antes da consulta online são:

  • exame de audiometria, tonal e vocal;
  • imitanciometria.

Segundo Tamires, o atendimento inicial pode ser realizado “com anamnese, coleta de informações importantes, adaptação inicial da prótese e regulagens posteriores que são necessárias, de acordo com a demanda dos pacientes”. Além disso, ela destaca que a consulta online é indicada “para todos os pacientes, uma vez que a consulta inicial é apenas uma conversa entre a fonoaudióloga e o usuário, para conhecer melhor as queixas, tirar dúvidas e poder dar prosseguimento ao tratamento”. 

Embora a maioria dos usuários de aparelhos auditivos seja composta de idosos, eles também podem adaptar-se à consulta auditiva online. “Se fossemos falar em consulta online há alguns anos atrás, poderíamos ter, sim, uma restrição de idade, ou acesso à tecnologia. Mas, hoje, esse não é um problema a ser enfrentado. Nossos profissionais são altamente capacitados para atender o público que não tem conhecimento de tecnologia, ajudando-o a fazer a chamada de vídeo, a baixar o aplicativo.

No caso dos pacientes que têm uma dificuldade maior, contamos com o acompanhante para auxiliar. Nós, da A&R Aparelhos Auditivos, temos um processo para esse atendimento, que é diferenciado do processo de atendimento presencial. Os pacientes mais idosos já estão tirando de letra. Eles se arrumam, colocam roupas novas, passam maquiagem e, às vezes, até perfume para a hora da consulta. É um momento de descontração de tudo isso que estamos passando, uma forma de comunicação muito eficaz” — enfatiza Tamires.

Como funciona?

A consulta se inicia com a realização da anamnese do paciente, na qual são realizadas algumas perguntas sobre seu passado otológico e suas principais queixas, a análise dos exames já realizados, bem como a verificação da sua indicação médica para a adaptação da prótese auditiva. Em seguida, é feita, junto às necessidades auditivas do paciente, a escolha da prótese mais indicada. Se o paciente que tem queixas específicas, como zumbido no ouvido, ele passa por outra anamnese, que, nesse caso, é a anamnese de zumbido. 

Após escolha da prótese, o paciente tem a opção de realizar a experiência domiciliar. Nesse momento, a A&R envia o aparelho já regulado para ele, assim como todos os materiais necessários. Recebido o material em casa, depois, é marcada uma nova consulta para fazer a adaptação junto com o profissional. Como tudo é feito por chamada de vídeo, o processo se torna muito prático, e os pacientes adoram. Eles mesmos já aprendem a colocar e tirar o aparelho, além de guardar no local correto à noite. Nesse caso, é possível realizar algumas tarefas pelo aplicativo, a fim de auxiliar o usuário a superar as principais dificuldades apresentadas.

Como a A&R tem feito consultas auditivas online?

Como a A&R tem feito consultas auditivas online?

Primeiro, é ṕreciso agendar a consulta. Para isso, é necessário entrar em contato pelo site ou pelo Instagram. As assistentes vão avaliar a clínica mais próxima do paciente para facilitar e agilizar o envio de materiais, caso seja necessário. A consulta dura em torno de 1 hora e 30 minutos. Além disso, também é possível agendar as consultas online via WhatsApp ou pelo telefone. Tudo é muito rápido, pois a A&R conta com 11 lojas distribuídas em todo o estado de Minas Gerais.

A consulta auditiva online é um sucesso! De acordo com a Tamires, a A&R recebe constantemente mensagens de agradecimento, principalmente pelo cuidado de todos os funcionários com os pacientes. Como eles já realizaram algumas etapas do atendimento de forma online, já estão muito bem preparados para as intercorrências que podem acontecer e conseguem resolver tudo com prontidão. O resultado é um atendimento de excelência e, sobretudo, com pacientes satisfeitos.

Por fim, vale ressaltar que é de suma importância que os pacientes que têm perda de audição, e ainda não começaram o tratamento, procurem a ajuda o quanto antes. Os tratamentos adiados agora terão impacto lá na frente. Se a perda auditiva não for tratada, ela pode progredir e também aumentar os casos de isolamento social. 

Pacientes que se isolam porque não conseguem comunicar-se nem pessoalmente, nem pelo telefone, afastam-se da família e dos entes queridos. E isso pode levar à depressão. — e, em última análise, a um declínio cognitivo. Esse é mais um problema que visa a ser combatido com a consulta auditiva online!

Não espere o pior acontecer para tomar uma atitude. Entre em contato com a A&R Aparelho Auditivos agora mesmo e agende já a sua consulta!

Aparelho auditivo para zumbido: como comprar o mais indicado?

Aparelho auditivo para zumbido: como comprar o mais indicado?

O zumbido ou chiado no ouvido é a percepção de sons que nem sempre são gerados por alguma fonte sonora. Embora seja mais comum em idosos, esse problema pode surgir em qualquer faixa etária e exige atenção profissional especializada para avaliar a necessidade de utilizar aparelho auditivo para zumbido.

Tendo isso em vista, vamos apresentar as principais causas desse problema e as melhores opções de tratamento para controlar seus impactos sobre a qualidade vida. Saiba como os aparelhos auditivos podem ajudar quem tem zumbido no ouvido e o que é necessário considerar na hora de comprar o modelo ideal!

O que causa zumbido no ouvido?

Zumbidos são sons ou chiados incomuns que surgem no ouvido. Alguns se assemelham ao zunido de mosquitos, ao barulho de água em uma cachoeira ou podem ter manifestações variadas. Esse problema causa bastante incômodo, atrapalha a audição e pode se originar por diversas razões. 

As causas mais comuns estão associadas a problemas originados dentro da própria via auditiva, mas também têm relação com fatores externos. Para melhorar a sua compreensão sobre o tema, listamos algumas delas. Confira:

  • distúrbios psicológicos ou psiquiátricos;
  • ouvido entupido por acúmulo de cerume;
  • alimentação gordurosa;
  • falta de vitaminas;
  • modificações nos ossículos que formam o canal da audição;
  • alterações metabólicas associadas ao uso excessivo de açúcares;
  • perda auditiva devido às alterações fisiológicas do envelhecimento;
  • Síndrome de Ménière;
  • tumores raros que afetam o ouvido interno;
  • problemas no labirinto da via auditiva decorrentes do abuso de álcool e cigarros;
  • descontrole na função hormonal, como doenças da tireoide e de hormônios sexuais;
  • doenças cardiovasculares, pressão arterial elevada e batimentos cardíacos acelerados;
  • problemas na articulação temporomandibular resultantes de causas externas odontológicas;
  • exposição prolongada a ruídos ou barulhos com altas frequências sonoras.

Qual é a importância do tratamento?

Qual é a importância do tratamento?

Para obter bons resultados no tratamento, vale ressaltar a relevância da abordagem individualizada e da avaliação minuciosa da causa original do zumbido. Às vezes, logo no início do tratamento, o fonoaudiólogo já recomenda o uso de aparelhos auditivos para zumbidos.

Com esse dispositivo, o usuário é beneficiado de diferentes formas, principalmente em relação à percepção dos sons descontinuados ou difíceis de serem identificados. Por isso, quando o zumbido no ouvido passa a prejudicar as atividades da pessoa, afetar o humor, reduzir a autoestima, atrapalhar o sono e comprometer a qualidade de vida, o ideal é utilizar aparelhos auditivos.

O primeiro aspecto importante é a identificação correta da causa do zumbido. Dependendo do caso, os chiados no ouvido tendem a desaparecer rápido. Porém, em quadros de maior gravidade, especialmente quando o zumbido surge em decorrência de doenças agudas, o tratamento precisa ser urgente.

Quanto mais rápido o diagnóstico for feito, maiores serão as chances de recuperar a audição. A negligência na busca de ajuda pode levar a complicações e à surdez permanente. Além disso, o profissional deve fazer uma investigação criteriosa para eliminar o risco de doenças mais graves como os tumores no conduto auditivo.

Outro ponto essencial durante a análise sobre a necessidade de usar aparelho auditivo para zumbido são os aspectos emocionais do paciente. É preciso considerar a repercussão que o surgimento desses sons terá na vida do indivíduo. Problemas desse tipo influenciam picos de depressão e crises de ansiedade, o que exige mais atenção com a saúde em um contexto mais amplo.

Como comprar um aparelho auditivo para zumbido?

Como comprar um aparelho auditivo para zumbido?

Enumeramos algumas práticas que ajudam a escolher melhor o seu aparelho para audição. Veja quais são!

Entenda como o aparelho funciona

O aparelho auditivo mais indicado nessas condições é o mascarador de zumbido. Esse dispositivo é dotado de recursos tecnológicos que funcionam para simular outros sons promotores do relaxamento cerebral. Ao usá-lo, o paciente consegue treinar o cérebro para não escutar os zumbidos, mas sim os sons do aparelho.

O objetivo dessa técnica é utilizar o estímulo sonoro para promover uma atividade mais intensa na região auditiva cerebral. Por conseguinte, há o restabelecimento da atividade. Esses moduladores de sons inibem parcialmente — ou, até mesmo, totalmente — a percepção do zumbido, o que reduz os sintomas e eleva a qualidade de vida do paciente.

Busque marcas de boa qualidade

Normalmente, incômodos ou problemas no ouvido geram outros desconfortos como dores de cabeça, vertigens, diminuição da concentração, estresse excessivo, crises de ansiedade, distúrbios de sono, entre outros. Por isso, o primeiro ponto importante ao comprar seu aparelho auditivo para zumbido é buscar marcas de referência para que o produto atenda suas expectativas e traga soluções.

Considere o custo-benefício

Independentemente da causa do problema, o zumbido gera sintomas que afetam a vida da pessoa em diferentes aspectos. Se não tratado adequadamente, a tendência é a evolução para quadros mais graves que comprometem não só a saúde física, mas também a estabilidade emocional. Nessas circunstâncias, o custo-benefício do aparelho auditivo para zumbido é muito grande em relação às vantagens que ele representa.

Verifique o tempo de garantia

Conferir o tempo de garantia, guardar a nota fiscal e perguntar se é possível fazer testes antes de comprar o aparelho é importante para evitar problemas futuros. Isso ajuda a verificar se todos os recursos realmente funcionam e se o produto atende suas expectativas.

Escolha uma empresa confiável

A opção pelo aparelho para audição é feita pelo paciente em conformidade com a sugestão do médico ou fonoaudiólogo. Mas, na hora de comprar seu dispositivo, o ideal é buscar uma empresa confiável que tenha credibilidade no mercado. A A&R Aparelhos Auditivos já está consolidada no mercado e trabalha com marcas e modelos padronizados de grande aprovação pelos pacientes.

Podemos concluir que a aquisição de um bom aparelho auditivo para zumbido é a solução mais eficaz para promover bem-estar e qualidade de vida a quem enfrenta esse problema. Portanto, procure um tratamento quanto antes e se atente às recomendações médicas quanto aos critérios de qualidade desses dispositivos.

Você gostaria de adquirir um aparelho auditivo? Aproveite a visita ao nosso site e conheça as marcas e modelos disponíveis na A&R Aparelhos Auditivos!

Já ouviu falar no aparelho auditivo interno? Veja por que comprar um

Já ouviu falar no aparelho auditivo interno? Veja por que comprar um

O investimento em um aparelho auditivo é considerado um marco na vida de muitas pessoas. Afinal, essa escolha tem um impacto significativo em vários aspectos da vida, desde a capacidade de audição até a necessidade de mudança do dispositivo. Por isso, é fundamental conhecer as inovações na área e os aparelhos mais recentes — categoria na qual se encaixa o aparelho auditivo interno.

Há alguns anos, os aparelhos auditivos eram relativamente grandes, o que impactava a qualidade de vida e a estética. Hoje, devido à inovação da tecnologia, temos dispositivos muito menores, com menor necessidade de manutenção e maior durabilidade.

Para saber se o aparelho auditivo interno é ideal para você, é essencial conhecer seus benefícios. Por isso, separamos neste post algumas das principais funcionalidades desse dispositivo. Continue lendo para saber mais!

Estética

Sem dúvidas, o grande salto do aparelho auditivo interno é o seu valor estético — seu uso é extremamente discreto e, muitas vezes, é impossível notá-lo em quem o está utilizando.

Essa característica “batiza” o aparelho auditivo interno. Ele tem esse nome porque, em vez de ser encaixado externamente no canal auditivo, é inserido dentro dele. Isso faz com que o uso desse tipo de dispositivo seja menos estigmatizado e pode melhorar consideravelmente a qualidade de vida em longo prazo.

Praticidade

Se você conhece alguém que utiliza um aparelho externo, já deve ter ouvido que é necessário trocá-lo diariamente — geralmente antes de dormir, momento em que sua bateria também é recarregada. Essa é uma das características que diminuem a atratividade dos aparelhos auditivos, pois eles demandam um cuidado constante.

Com os aparelhos internos, essa troca frequente não é necessária nem possível — como eles estão localizados no interior do canal auditivo, sua troca costuma ser realizada apenas por um profissional capacitado em uma consulta específica. Uma vez que esse procedimento não pode ser realizado diariamente, o aparelho é trocado em um intervalo de tempo maior (geralmente semanas ou meses).

Por isso, após a implantação do aparelho auditivo interno, o paciente pode levar uma vida comum, sem preocupações com o dispositivo. Para você ter uma ideia, atividades como o sono ou o banho podem ser realizadas normalmente, sem a necessidade de retirar o equipamento. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados, como fazer a manutenção do aparelho e ter atenção a tampões intra-auriculares.

Durabilidade

A escolha do aparelho auditivo ideal inevitavelmente leva em conta o valor do dispositivo. Embora os aparelhos internos sejam mais custosos, eles tendem a durar mais. Isso ocorre porque eles são menos manuseados e, como têm que resistir por mais tempo no canal auditivo, geralmente são mais duráveis.

Por isso, em longo prazo, a menor necessidade de troca do aparelho pode sobrepor o seu investimento inicial. Para se aprofundar ainda mais no assunto, vale a pena consultar os tempos de garantia dos diferentes dispositivos e consultar seu otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo de confiança.

Conforto

Conforto

O aparelho auditivo externo pode causar um desconforto considerável a muitos pacientes. Isso é especialmente importante quando falamos dos aparelhos retroauriculares, que têm uma porção que dá a volta por trás da orelha. Apesar de serem estáveis, esses dispositivos contam com uma ampla área de contato com a pele, o que pode causar incômodo.

Em um primeiro momento, ter um aparelho inserido no canal auditivo pode soar desconfortável. Entretanto, como o dispositivo se mantém estável, seu corpo se adapta a ele com mais facilidade e, em poucos dias, o incômodo inicial cessa. Por isso, sua taxa de aceitação é maior do que a de aparelhos externos.

Resistência à água

Como os aparelhos internos permanecem constantemente inseridos, uma de suas principais inovações é a resistência à água. Então, você não precisa se preocupar com a retirada do dispositivo durante o banho ou a natação, aumentando a praticidade e o conforto dele.

Por evitar acidentes, a resistência à água pode livrar você de gastos e preocupações no futuro. Afinal, quem utiliza aparelhos auditivos clássicos pode, a qualquer instante, se esquecer de sua sensibilidade à água e entrar no chuveiro ou na piscina — precisando de reparos no dispositivo ou, em casos extremos, até trocá-lo. Com essa tecnologia, você tem uma garantia e uma segurança a mais no seu dia a dia.

Duração da bateria

Como mencionamos, há alguns anos, era comum que os aparelhos auditivos fossem recarregados diariamente. Isso não era necessário apenas porque eles precisavam ser retirados durante a noite — a duração da bateria também era inferior, tornando obrigatória a sua recarga frequente. Atualmente, esse não é mais o caso.

O primeiro fator que influencia a duração é a própria utilização da bateria. Há algum tempo, era comum que os aparelhos auditivos fossem abastecidos com pilhas, que são menos eficazes e maiores. O uso de baterias permitiu que eles fossem recarregáveis e durassem um tempo maior.

Hoje, as baterias têm uma tecnologia ainda mais avançada, similar à que é utilizada em notebooks e celulares. Isso permite ficar meses com o aparelho auditivo sem ser necessário trocá-lo diariamente. Além disso, essa tecnologia também evita que a bateria acabe em momentos inoportunos, prejudicando sua audição.

Personalização

Mesmo se você nunca utilizou um aparelho auditivo, já deve ter se deparado com fones ou tampões intra-auriculares que não se encaixavam perfeitamente bem. Quem utiliza os aparelhos auditivos tradicionais pode ter esse problema todos os dias — afinal, eles são construídos em modelos pré-definidos, não sendo completamente personalizáveis.

No entanto, o aparelho interno geralmente é construído para se encaixar perfeitamente no conduto auditivo de seu portador. Por isso, ele é considerado único e não pode ser trocado de orelha nem usuário, minimizando ao máximo o desconforto ao utilizá-lo.

Conhecer as tendências do mercado faz toda a diferença na hora de comprar um aparelho auditivo. Afinal, ele estará com você pelo resto da vida e terá um impacto direto em sua qualidade de vida e seu conforto. Ter atenção às melhores marcas e fornecedores é uma boa estratégia para não errar na escolha.

Se você está procurando seu aparelho auditivo interno, podemos ajudar. A A&R Aparelhos Auditivos é uma empresa especializada em reabilitação auditiva fundada em 2007. Contamos com modelos da última geração de aparelhos auditivos, sempre atualizados com os melhores produtos do mercado.

Que tal saber mais sobre a A&R? Estamos prontos para conhecer você e ajudar a comprar o aparelho auditivo mais adequado!

Fique por dentro das principais marcas de aparelhos auditivos

Fique por dentro das principais marcas de aparelhos auditivos

O desejo de quem sofre com a perda auditiva é ouvir com mais clareza para aumentar sua qualidade de vida, aproveitar melhor os momentos com a família, ter independência e realizar com facilidade as atividades do dia a dia. Isso já é possível com a tecnologia. Entretanto, como o mercado oferece uma grande diversidade de marcas de aparelhos auditivos, é comum que os pacientes tenham muitas dúvidas.

Por isso, nós conversamos com Mariane Andrade, fonoaudióloga da A&R Aparelhos Auditivos da Unidade Barreiros, que esclareceu as principais questões sobre o assunto. Continue com a leitura deste artigo e entenda qual é a relevância das marcas, as principais do mercado e as diferenças entre cada uma.

Entenda a importância da marca do aparelho auditivo

A marca de um produto vai além de apenas status, pois engloba inúmeros aspectos, como posicionamento no mercado e na sociedade, pessoas que participam da produção, estudos de aperfeiçoamento, entre outros. Com os aparelhos auditivos, não seria diferente. Escolher uma boa marca significa adquirir um produto de qualidade, que realmente atende às necessidades do paciente, oferece garantia do serviço e acompanhamento durante o uso.

Assim, as marcas mais comprometidas estão sempre em processo de aperfeiçoamento dos seus produtos, ou seja, realizam constantes pesquisas para aprimorar os aparelhos. Isso ocorre, principalmente, em virtude da evolução da tecnologia, que a cada dia apresenta novas soluções.

A era digital tem transformado a forma de nos comunicarmos e realizarmos diversas tarefas do cotidiano. Já não nos imaginamos sem celular, smart TV, computadores e outros equipamentos. Assim, as marcas de aparelhos auditivos também tiveram que criar modelos que possibilitassem que os pacientes também pudessem utilizar esses itens, como as outras pessoas.

Desse modo, as melhores marcas desenvolveram aparelhos que se integram aos mais modernos dispositivos eletrônicos, permitindo que o paciente possa falar ao telefone, realizar vídeo chamadas em celulares e notebooks, ouvir música, assistir aos programas preferidos na televisão, entre tantas outras coisas que antes não eram possíveis.

Conheça as consequências de uma má escolha

Conheça as consequências de uma má escolha

Os efeitos de optar por uma marca que não é bem qualificada estão diretamente ligados à saúde auditiva do paciente. A fonoaudióloga da A&R afirma que utilizar um aparelho auditivo que não seja de qualidade nem adequado ao quadro clínico do indivíduo não ajudará a resolver suas demandas, além de haver a possibilidade de piora da situação.

Para evitar que isso aconteça, é fundamental levar em consideração o tempo de mercado da marca, pois isso denota a consolidação dos seus valores e princípios perante o mercado. Da mesma forma, a quantidade de produtos oferecidos demonstra que a empresa apresenta soluções até para os casos mais complexos.

Por fim, deve-se também observar se a empresa oferece o acompanhamento completo do usuário, desde a indicação do aparelho até a sua plena adaptação.

Saiba quais são as diferenças entre as marcas de aparelhos auditivos

Há 3 grandes marcas de aparelhos auditivos disponíveis no mercado: Phonak, Widex e Signia. De acordo com Mariane Andrade, uma das grandes diferenças entre elas é a tecnologia empregada na fabricação do aparelho, que deve ser comprovada cientificamente e validada por meio de testes e ensaios clínicos rigorosos para assegurar sua eficácia e aplicabilidade ao paciente.

A fonoaudióloga ressalta: “os avanços tecnológicos de cada aparelho auditivo são criados com o objetivo de fazer com que o paciente tenha uma experiência de adaptação cada vez mais natural e semelhante à audição normal”. Outro ponto importante é o atendimento ao cliente, que deve ser feito desde a consulta inicial até a assistência após a venda. Para isso, é preciso contar com uma equipe que preste assistência integral a cada caso.

Nesse cenário, a Signia, pioneira em Machine Learning, conta com uma gama de modelos para os mais variados problemas auditivos. Também oferece uma série de designs que, a exemplo do SilkTM e do InsioTM, são praticamente imperceptíveis e oferecem o máximo em performance.

Por sua vez, modelos como o PureTM e MotionTM contam com tecnologia de ponta e, assim, melhoram a experiência do usuário. É possível conectá-los a outros dispositivos eletrônicos para que o som do equipamento seja transmitido diretamente para o aparelho auditivo.

Descubra os diferenciais da A&R no mercado de aparelhos auditivos

Descubra os diferenciais da A&R no mercado de aparelhos auditivos

Há 13 anos no mercado, a A&R é uma empresa especializada em reabilitação auditiva. Seu objetivo é promover a melhoria da qualidade de vida de quem sofre com esse problema. Quando um paciente adquire um dos aparelhos, leva também a bagagem da marca Signia, que traz toda a experiência e a consolidação da marca Siemens.

Além da qualidade e da marca de excelência de seus produtos, as pessoas que compõem o quadro da A&R são outro diferencial. Desde as assistentes que acolhem o paciente até a equipe de fonoaudiólogos especializados em Audiologia, todos sempre buscam o melhor, por meio da associação entre produto e resolução das necessidades de cada paciente.

Por isso, a empresa sempre preza pelo bem-estar de cada paciente, atendendo a cada um de acordo com suas particularidades e necessidades, para que eles voltem a ser independentes, aumentem seu convívio social e consigam realizar as atividades prazerosas que deixaram de fazer em virtude do problema auditivo. A A&R oferece também um programa de acompanhamento vinculado ao equipamento, para ter a certeza de que o paciente está totalmente adaptado às funcionalidades.

Outro diferencial da empresa é que o paciente pode adquirir os aparelhos da maneira que considerar mais viável. Para a sua comodidade, há duas formas de atendimento: presencial e on-line. Ambas seguem o padrão de atendimento A&R. Ainda, Mariane Andrade lembra que há a opção de realizar uma experiência domiciliar, sem custo, com o aparelho de sua preferência, mediante a indicação da fonoaudióloga.

Como você viu, o mercado oferece várias marcas de aparelhos auditivos. Saber escolher a mais qualificada significa ter mais saúde auditiva. Assim, é essencial optar por empresas já consolidadas no mercado, que tenham a qualidade atestada pela sociedade e a excelência comprovada tanto por órgãos reguladores quanto pelos pacientes satisfeitos com o uso de seus produtos.

Quer fazer parte do grupo de pessoas que voltaram a ter mais qualidade de vida ao ouvirem melhor? Então, conheça os aparelhos auditivos disponibilizados pela A&R e avalie qual é o ideal para o seu caso!

Entenda como funciona a audição e porque ela é tão complexa

Entenda como funciona a audição e porque ela é tão complexa

A audição é um dos cinco sentidos mais maravilhosos do corpo humano. Cuidar bem dela é essencial para que outras funções — como a fala — sejam processadas adequadamente. Assim, saber como funciona a audição é essencial ao bem-estar, o que torna necessário priorizar medidas preventivas que mantenham o seu funcionamento e reduzam o risco de perda auditiva

Nesse contexto, vamos mostrar como a audição humana funciona e por que ela é tão complexa. Entenda como ocorre a captação e a interpretação dos sons pelo ouvido humano e quais os mecanismos mais relevantes envolvidos nesse processo. Veja, ainda, quais os sinais que indicam perda auditiva e saiba o que fazer para evitar esse problema. Boa leitura!

Por que é importante conhecer a anatomia do ouvido?

Ao conhecer a anatomia do pavilhão auditivo fica mais fácil saber quais são os cuidados mais relevantes para que eles funcionem corretamente. Além disso, caso surja alguma anormalidade, é possível identificar os sinais de que algo não vai bem e procurar ajuda.

Tendo isso em vista, observe as três partes que formam o ouvido!

Orelha externa

A orelha externa é subdividida em pavilhão auricular, que é a porção externa visível conhecida como a orelha propriamente dita. De fora para dentro, temos o conduto auditivo externo que se estende até a face externa da membrana do tímpano. Esse conjunto é chamado de ouvido externo e sua função é direcionar as ondas sonoras recebidas.

Quando percebidos, os sons são captados pelo meato acústico externo, de onde se propagam até o tímpano. Na membrana timpânica há fibras colágenas em sua composição, que garantem a elasticidade necessária para a vibração dos sons conforme a intensidade ou a frequência recebida

Orelha média

A orelha média é formada pelas seguintes partes: face interna da membrana timpânica, os ossículos do ouvido (martelo, bigorna e estribo) e os dois pequenos músculos responsáveis pelos movimentos desta porção do ouvido. Todo esse mecanismo é controlado minuciosamente pelos nervos do cérebro e por porções como o cerebelo, estrutura responsável pela manutenção do equilíbrio do corpo.

Para se processar a audição, a membrana timpânica transmite vibrações para o martelo, que as envia para a bigorna que, por último, a conduz para o último ossículo: o estribo. Ao passar por essa cadeia — chamada cadeia tímpano-ossicular — o som é amplificado e se torna audível. Todo esse processo ocorre por controle neural e em frações de segundos.

Orelha interna

A orelha interna está localizada bem junto ao osso temporal e tem duas importantes partes em sua composição: a cóclea e o aparelho vestibular. A cóclea participa da condução do som ao se comunicar com a porção média do pavilhão auditivo e com o estribo. Logo, essa parte inferior tem função estritamente auditiva.

Na porção superior, onde o aparelho vestibular se localiza, também existem os canais semicirculares — por onde o líquido coclear circula — o sáculo e o utrículo. Juntas, essas estruturas compõem o chamado sistema vestibular, cuja função mais importante é o equilíbrio corporal. 

Como funciona a audição humana?

Como funciona a audição humana?

Como vimos, o processo auditivo começa com a orelha externa captando os sons e os encaminhando ao tímpano por meio do canal auditivo. Os estímulos sonoros são amplificados no estribo e, pela ação das células sensoriais, são gerados impulsos nervosos que interpretam esses sons. Essa “conversão” do estímulo sonoro em som audível é feita pelo centro de audição do córtex cerebral.

Quando essa parte do cérebro entra em ação, os sons são reconhecidos e diferenciados segundo a sua origem. Esse detalhe é crucial para que a pessoa consiga distinguir se o som é de voz humana, de música, de objetos, ruídos, de chuva etc.

Como a função auditiva é bem complexa, para facilitar o seu entendimento listamos alguns dos elementos inseridos nesse processo. Confira!

Frequência

A frequência é uma característica que ajuda a distinguir se o som que chega ao ouvido é agudo ou grave. Essa medida é expressa em Hertz (Hz) por segundos e, a capacidade de percepção do som pelo ouvido humano está estabelecida na faixa entre 20 Hz e 20.000 Hz. 

Percepção dos sons

Sob o ponto de vista da Física, o som é constituído por ondas mecânicas, e que se expressam por meio da propagação de moléculas. No entanto, esse mecanismo seria facilitado se fosse propagado em um meio sólido. Mas como o meio de propagação do som é o ar, os físicos o consideram complexo por que este é o pior meio para se propagar o som.

Logo, isso torna a atenção e o cuidado com a audição essencial, visto que esse fino ajuste cerebral para o funcionamento do ouvido precisa permanecer em perfeito equilíbrio. Se houver qualquer problema, a audição fica comprometida e, consequentemente, há o risco de evolução para surdez.

Perda auditiva

A condução dos estímulos sonoros pelos nervos é minuciosamente controlada por um sistema de reflexos cerebrais de áreas específicas para coordenar a audição e o equilíbrio motor. Na idade avançada, a diminuição gradativa das funções fisiológicas elevam o risco de comprometimento auditivo devido à perda de neurônios dessas áreas, entre outros fatores. 

No entanto, o comprometimento auditivo pode surgir em qualquer idade, já que há outras questões envolvidas nesse mecanismo, o que torna elementar saber como funciona a audição. Assim como ocorre em idosos, em qualquer pessoa pode ocorrer o desgaste ou a perda de células, do próprio aparelho auditivo, responsáveis pela audição. 

É possível identificar os sinais de perda auditiva?

É possível identificar os sinais de perda auditiva?

Sim. Com a orientação de fonoaudiólogos ou de otorrinolaringologistas é possível investigar o quadro e confirmar o diagnóstico por meio de exames como audiograma, específico para identificação do nível de perda auditiva. Também é necessário avaliar a necessidade de usar aparelhos auditivos para ajudar na reabilitação.

Alguns dos sintomas da perda auditiva são:

  • hábito de falar muito alto;
  • dificuldade para ouvir diálogos em tons de voz normal;
  • dificuldade em falar ao telefone ou de compreender todas as palavras;
  • necessidade de aumentar o volume da TV, mesmo quando as outras pessoas estão ouvindo bem.

Como você pôde perceber, tanto em idosos, adultos e crianças, a perda auditiva ocorre de forma gradual. Por isso, não basta apenas saber como funciona a audição, mas conhecer os processos patológicos e buscar ajuda de um profissional especializado. Logo, ao perceber que está havendo uma perda auditiva, procure buscar uma solução quanto antes para resolver o problema e preservar a sua saúde e bem-estar.

Gostou deste artigo? Então, aproveite também para saber como funciona um aparelho auditivo!