Como é feito o ajuste de aparelho auditivo?

Como é feito o ajuste de aparelho auditivo?

A perda auditiva é uma comorbidade que influencia diretamente na qualidade de vida. Um recurso bastante utilizado para anular seus impactos é a utilização de aparelhos auditivos, os quais devolvem o poder da audição e beneficiam o indivíduo.

Para tanto, é fundamental que o equipamento seja perfeitamente funcional, adequando-se às particularidades de cada paciente. Por conseguinte, é necessário saber realizar o ajuste de aparelho auditivo, aprimorando, assim, o seu uso.

Neste artigo, abordaremos quais são os principais tópicos que podem interferir na atuação do aparelho, indicando também boas práticas capazes de aperfeiçoar a amplificação do som. Comentaremos, ainda, algumas dúvidas associadas ao uso do equipamento. Continue a leitura!

Cuidados iniciais para manutenção

A opção pelo uso de um aparelho auditivo é um procedimento que requer acompanhamento de um profissional, o qual precisa estabelecer um vínculo com o paciente, visando facilitar o processo.

Veremos agora duas boas práticas para o início do uso.

Acompanhamento

Antes de tudo, o indivíduo com perda auditiva procura um especialista para resolução do seu problema, seja um fonoaudiólogo, seja um otorrinolaringologista. Com a anamnese, o profissional inicia sua investigação sobre o caso e pode até lançar mão de exames que o auxiliem no diagnóstico.

Feito isso, a disfunção auditiva pode ser classificada quanto ao grau e ao tipo, sendo que tais aspectos direcionam para um tratamento específico e definição do melhor aparelho auditivo para o paciente.

Vale ressaltar que as questões abordadas não são apenas biológicas, mas também psicossociais. Isso se deve a uma resistência vinculada ao uso de aparelhos, pois é uma forma de identificação da surdez por parte da sociedade.

Portanto, é essencial que o médico caminhe junto com o paciente nesse aspecto e trabalhe com ele a melhor forma de lidar com estigmas sociais, evidenciando, acima de tudo, os benefícios proporcionados pelo uso do equipamento.

Adaptação

Há uma expectativa muito grande acerca do uso do aparelho auditivo. Entretanto, é preciso compreender que a audição do paciente estava comprometida por um tempo suficiente para o que organismo se adaptasse à disfunção.

Dessa forma, a adaptação ao aparelho requer tempo. O cérebro precisa de até seis meses para se adequar à nova realidade auditiva. Porém, basta uma semana de uso para que os problemas passem a ser identificados e, então, combatidos.

Neste momento, ressaltamos novamente a importância do acompanhamento, visto que o profissional vai auxiliar na correção dos tópicos que carecem de aperfeiçoamento. Pensando nisso, a seguir, listamos algumas formas de ajustar melhor o aparelho auditivo.

Aspectos do ajuste de aparelho auditivo

Para que o equipamento em questão seja aproveitado da melhor forma possível, é necessário que contemple corretamente alguns pontos, que serão abordados na sequência. Confira!

Encaixe do aparelho

A maneira como o equipamento é retirado e colocado na orelha da pessoa influencia diretamente no feedback externo. Tal fator indica se há ou não o escape da amplificação do som.

Caso mantenha a perda de sonoridade, é preciso verificar se, de fato, existe fixação do aparelho ou se ele está inserido de maneira incorreta. Mantido o problema, o profissional que acompanha o caso pode optar pela substituição ou pelo ajuste de frequências.

Tipos de limpeza

É fundamental também realizar a limpeza do equipamento, se atentando para as necessidades diárias ou com maior prazo. Todos os dias, com um pano macio, retire o cerume e a umidade. Com uma periodicidade um pouco maior, utilize um pano úmido para limpar o tubo e a cúpula do receptor

Ajuste do volume

O ajuste do volume é fundamental para o que o usuário não sinta desconforto ao ser submetido a sons fortes e altos. Para tanto, é possível reduzir o volume do aparelho, mantendo sempre o cuidado para não impedir a captação de sons mais baixos.

Manutenção da bateria

Outro ponto importante é otimizar o tempo de duração da bateria ou pilha que abastece o aparelho. Para isso, quando não estiver sendo utilizado, como na hora do sono, mantenha aberto o compartimento da fonte de energia, evitando o gasto desnecessário.

Testes em diferentes ambientes

Considerando que cada ambiente tem suas particularidades sonoras, o indivíduo deve ser bem instruído acerca do ajuste do aparelho em cada local. Assim, evita a exposição a um volume muito elevado em ambientes agitados e nivela a captação para lugares mais calmos.

Interferência com celulares

Um problema cada vez mais combatido pelos fabricantes de aparelhos auditivos e de celulares é reduzir a interferência entre os dois equipamentos no momento de ligações. Devido à preocupação com o bem-estar do usuário, esse impasse tem sido cada vez menos frequente.

Supressão de ruídos

Como já dito, existe a necessidade de adaptação cerebral aos novos sons captados. Portanto, os ruídos podem se tornar desagradáveis à audição, sendo necessário ajustar a frequência identificada pelo aparelho.

É preciso, ainda, ter atenção para não excluir a captação das falas, visto que ela está muito próxima a frequência observada nos ruídos indesejados.

Efeito de oclusão

Quando o conduto auditivo é mantido completamente fechado, a tendência da pessoa é elevar seu tom de voz, pois ocorre o chamado efeito de oclusão.

Para solucionar este problema, é possível diminuir o ganho nas frequências inferiores, ou, ainda, adaptar a cápsula para a região mais profunda, próxima aos ossículos.

Dúvidas frequentes sobre o equipamento

Por fim, comentaremos agora sobre algumas dúvidas recorrentes. A primeira delas consiste nas razões para o aparelho não ligar. Isso pode acontecer por intercorrências na bateria ou bloqueio do filtro de cera. Assim, é preciso checar o encaixe e o funcionamento da fonte de energia ou mudar o filtro.

Outra dúvida figura como a sonoridade insuficiente. Os motivos para isso variam desde uma má inserção do aparelho ou do microfone ou, até mesmo, uma configuração disfuncional. Portanto, a solução pode ser simples, como recolocar o equipamento, ou pode requerer uma consulta ao fonoaudiólogo.

E, por último, o som do aparelho apresenta distorções. Nesse caso, a bateria do aparelho pode estar fraca ou o tubo do microfone se encontra mal encaixado. Para resolver, basta encaixar novamente ou adquirir uma bateria nova.

Neste artigo, procuramos esclarecer sobre o ajuste de aparelho auditivo. Reiteramos a necessidade do bom acompanhamento por parte do profissional a fim de proporcionar, juntamente ao equipamento, uma melhor qualidade de vida para aquela pessoa que tem perda auditiva.

Tem interesse em saber mais sobre aparelhos auditivos? Então entre em contato conosco e saiba quais são as melhores tecnologias deste setor!

Compartilhar este Artigo