Conheça 8 mitos e verdades sobre a audição

Conheça 8 mitos e verdades sobre a audição

Com tanta informação circulando por aí, fica muito difícil diferenciar os mitos e verdades sobre a audição, não é mesmo? Por esse motivo, é sempre importante sanar suas dúvidas em fontes confiáveis para não correr o risco de se desesperar desnecessariamente.

É bem verdade que quem sofre com a perda de audição tem inúmeras dúvidas e que, muitas delas, causam insegurança e fazem com que o paciente fique resistente ao uso do aparelho auditivo. Sendo assim, é preciso buscar informações seguras e concretas para ajudar a quebrar essas objeções e mostrar que é possível ter qualidade de vida mesmo com essa condição.

Pensando em ajudá-lo a esclarecer, de uma vez por todas, quais são os mitos e verdades sobre a audição, listamos neste artigo os principais deles. Confira a seguir!

1. Perda auditiva não tem solução

Não permita que alguém diga isso ao portador de deficiência auditiva, pois, além de não ser verdade, existe uma grande probabilidade de deixar o paciente desmotivado e triste. Atualmente, os aparelhos auditivos têm contribuído muito para que a pessoa com deficiência auditiva possa ter uma vida normal, sem depender de terceiros para realizar suas atividades diárias.

Nesse sentido, podemos afirmar que a perda auditiva tem, sim, solução. No entanto, é preciso procurar ajuda de um especialista para que ele possa orientar sobre o tratamento mais adequado para cada caso.

2. É melhor esperar o máximo de tempo possível para colocar o aparelho para não deixar o ouvido “preguiçoso”

Mito! Por favor, não caia nessa cilada! Não existe essa história de ouvido “preguiçoso”. Após identificada a perda de audição, o paciente deve procurar um fonoaudiólogo imediatamente para não agravar o seu quadro clínico.

Quanto mais tempo a pessoa esperar para ir ao especialista, maiores serão os danos causados à função cerebral. E, aí sim, o processo de reabilitação se tornará mais complexo, pois será necessário reacostumar o cérebro a identificar os sons. Quando a ajuda é procurada logo no início dos sintomas, o paciente tem a chance de não perder sua qualidade de vida e independência.

3. A melhor forma de se comunicar com uma pessoa com perda auditiva é gritar

Esse é um erro que as pessoas cometem até sem perceber. Quem sofre com a deficiência auditiva consegue fazer a leitura labial. Dessa forma, quando você grita para falar, o som se distorce e a leitura labial se torna ainda mais difícil. Sendo assim, tenha em mente que gritar não vai adiantar, apenas causará incômodo para o paciente.

Nesse momento, para se comunicar com a pessoa que sofre com a perda de audição é preciso falar em tom normal e articular muito bem os lábios, sempre olhando para o interlocutor.

4. Apenas idosos perdem a audição

Estima-se que, em todo o mundo, cerca de 32 milhões de crianças sofrem com a perda de audição. Esse fato faz com que você entenda que não são somente os idosos que podem desenvolver essa condição.

A perda de audição pode afetar pessoas de todas as idades, inclusive as crianças.

Sendo assim, sempre que notar que a criança, adolescente ou jovem está com dificuldades no rendimento escolar e apresenta os sintomas da perda de audição, como assistir TV com o volume muito alto e parecer desatencioso, é preciso levá-lo a um especialista para que os exames sejam feitos, a fim de se certificar de que tudo está bem.

5. Pessoas com dificuldade auditiva sempre terão dificuldades de falar ao telefone

Isso já foi verdade, mas há muito tempo! A tecnologia tem evoluído constantemente com o objetivo de proporcionar às pessoas com deficiência auditiva uma vida mais normal possível. Existem acessórios para aparelhos auditivos que melhoram a experiência do usuário.

No caso do telefone, a chamada é transmitida para os dois aparelhos auditivos simultaneamente, assim, a pessoa consegue compreender melhor o que é dito. Esse acessório também funciona com bluetooth, fazendo a conexão direta entre o aparelho auditivo e o celular, facilitando o entendimento.

6. A perda auditiva tem cura

Infelizmente, essa ainda não é uma realidade, principalmente se for diagnosticada qualquer lesão nas partes internas do sistema auditivo. Dessa maneira, o uso do aparelho auditivo é a melhor solução para diminuir os impactos causados pela perda auditiva.

É fundamental comparecer em todas as consultas com o fonoaudiólogo. Nesse momento, serão realizados ajustes no aparelho para eliminar os ruídos e outros entraves que podem prejudicar a boa experiência do usuário.

Sendo assim, é importante conversar com o paciente e explicar porque ele precisa colaborar com o tratamento, realizando todos os exercícios prescritos pelo fono.

7. Cera de ouvido em excesso pode deixar a pessoa surda

Já ouviu falar em rolha de cera? É um acúmulo de cera que impede o som de chegar ao tímpano, fazendo-o vibrar e causando, assim, um tipo de surdez. Mas, geralmente, esse não é o caso de fazer uso do aparelho auditivo. Nesse momento, o especialista removerá esse acúmulo de cerume e, depois desse procedimento, o paciente conseguirá ouvir melhor.

8. Muitos casos de zumbido no ouvido podem estar relacionados à surdez

Sim, esse é um dos sinais de alerta da perda de audição. No entanto, não vale se desesperar, pois cada caso é um caso e somente um especialista está apto para diagnosticá-lo.

Se, porventura, o indivíduo estiver com algum problema de audição, o fono indicará o tratamento adequado e, se necessário, apontará qual aparelho auditivo é o ideal para determinada situação. Mas lembre-se de que, embora o diagnóstico seja algo difícil, é importante manter a motivação na certeza que a qualidade de vida não será perdida.

Conseguimos listar os principais mitos e verdades sobre a audição que você não podia deixar de conhecer. Isso porque, conforme mencionado no início, informações equivocadas podem trazer uma preocupação desnecessária para o paciente e, inclusive, para quem cuida dele.

Dessa forma, antes de acreditar em tudo o que dizem, dê uma boa pesquisada sobre o tema e, claro, pergunte ao especialista de sua confiança.

Vamos ajudar outras pessoas a quebrarem suas principais objeções e desmistificar as suas dúvidas sobre perda de audição? Então compartilhe este artigo nas suas redes sociais!

Compartilhar este Artigo