Exame auditivo: saiba a importância e quando ele deve ser feito

Exame auditivo: saiba a importância e quando ele deve ser feito

Embora muito negligenciado pela maioria das pessoas, o exame auditivo é muito importante para garantir o seu bem-estar e qualidade de vida. Isso porque a perda da audição acontece gradativamente e, por isso, nem sempre o indivíduo se dá conta de que está com dificuldades para ouvir, pois determinadas situações de sua rotina se tornam normais, como pedir para as pessoas repetirem o que falaram, assistir TV com o volume alto e outras circunstâncias que poderiam eventualmente apontar uma deficiência auditiva.

Em alguns casos, a dificuldade de ouvir não está diretamente ligada à perda de audição obviamente. Mesmo assim é preciso estar atento e realizar um check-up para se certificar de que a sua audição está saudável.

Para ajudar você nesse sentido, preparamos este artigo para explicar o que é o exame auditivo e como funciona. Continue a leitura e confira!

O que é o exame auditivo?

O exame auditivo (também conhecido como audiometria) tem como objetivo analisar e avaliar a capacidade que o paciente tem de ouvir e interpretar os sons. Por meio dele, o fonoaudiólogo consegue identificar possíveis alterações no sistema auditivo e orienta o paciente quanto às medidas que precisarão ser tomadas, incluindo tratamentos.

A seguir, listamos os tipos de audiometria que você precisa conhecer. Acompanhe!

Audiometria vocal

Nesse exame, o fonoaudiólogo fala alguns fonemas e palavras para que o paciente possa repeti-las da maneira que entendeu. O resultado indicará qual foi a capacidade do indivíduo em discernir os fonemas (discriminação) e como foi a sua compreensão da linguagem falada (inteligibilidade), testando assim o seu sistema central e a cóclea.

Feito o teste, o fonoaudiólogo calcula a porcentagem de acertos do paciente, sendo 100% o resultado considerado como normal, indicando que a audição está em perfeito estado.

Audiometria tonal

A audiometria tonal ajuda a avaliar a capacidade que o indivíduo tem de ouvir os estímulos sonoros. No momento do exame, o paciente precisa usar fones de ouvido e, então, tentar responder aos estímulos sonoros enviados, os quais são coordenados pelo fonoaudiólogo.

Assim, sempre que ouve um som, ele precisa avisar o profissional imediatamente. Esse tipo de exame leva em média 30 minutos e os dois ouvidos são testados separadamente, tanto na abordagem dos sons agudos quanto os graves.

Audiometria infantil

Sim, crianças também podem desenvolver problemas auditivos. E nesses casos, o exame precisa ser realizado com algumas adaptações para que o pequeno faça o teste corretamente.

Durante a realização da audiometria, a criança pode entrar na cabine junto com um responsável, utilizando os fones de ouvido. Nesse momento, o especialista usará algumas técnicas lúdicas para envolvê-la durante o exame auditivo. Normalmente, o fonoaudiólogo apresenta determinado som e a criança tem que apertar um botão ao reconhecê-lo.

Em alguns casos, o especialista também pode usar brinquedos com peças de encaixe para facilitar a compreensão das crianças menores.

Audiometria ocupacional

Esse tipo de audiometria tem como objetivo avaliar as condições auditivas dos trabalhadores, principalmente daqueles que ficam constantemente expostos a ruídos no trabalho.

Nesse caso, o exame vai detectar se houve alguma alteração auditiva, com foco em evitar o agravamento da dificuldade de ouvir, a qual pode causar diversos problemas colaterais na saúde dos colaboradores de uma empresa.

A audiometria ocupacional é essencial para garantir o bem-estar do funcionário, pois quanto antes o problema for identificado, maior é a chance de recuperação.

Como funciona o teste?

Para a realização do teste, o paciente não precisa de nenhum preparo prévio e nem mesmo suspender o uso de medicamentos. Ele só precisa entrar em uma cabine acústica para isolar os sons ambientais, revestida por uma parede de vidro para que o fonoaudiólogo possa observá-lo.

Nesse momento, o especialista medirá a audição em decibéis, sendo que uma pessoa que não tem a audição comprometida consegue ouvir até um mínimo de 25 decibéis — às vezes, até menos.

Em casos em que o paciente só começa a ouvir apenas aos 50 decibéis, significa que ele sofre com a perda auditiva leve; entre 55 e 70 é considerada perda moderada; entre 75 e 90 severa e acima de 90 decibéis, perda profunda.

Qual a importância do exame auditivo?

Na maioria dos casos, o exame auditivo ajuda a identificar se o paciente precisa fazer uso do aparelho auditivo ou não. Se necessário usar um equipamento de auxílio, o exame também vai apontar o tipo de aparelho mais adequado ao paciente.

Além disso, a audiometria também ajuda a levantar o diagnóstico e o prognóstico, tendo em vista que muitos fatores podem contribuir para a perda auditiva. Dessa forma, é possível sugerir medidas preventivas para evitar o agravamento da irregularidade.

O ideal é fazer o exame auditivo, pelo menos, uma vez por ano. Com esse monitoramento, será possível identificar eventuais problemas e iniciar o tratamento imediatamente. Como a perda de audição é um problema silencioso, a maioria das pessoas não percebem que precisam de ajuda. Por isso, o check-up é fundamental.

Por que as pessoas não fazem esse tipo de exame?

A maioria das pessoas acreditam não ter problemas de audição e, por isso, não procuram realizar exames preventivos e nem se consultam com um fonoaudiólogo para um acompanhamento mais detalhado.

Outras, por sua vez, até percebem que enfrentam algumas dificuldades para ouvir, mas não procuram ajuda profissional por medo do diagnóstico. No entanto, essas questões precisam ser deixadas de lado para que o paciente tenha a oportunidade de tratar a doença e, se possível, reverter seu quadro.

Como o exame previne ou identifica precocemente problemas auditivos?

Como a audição é medida em decibéis, o especialista conseguirá identificar exatamente qual é o grau de perda auditiva do paciente e, assim, conseguirá indicar o melhor tratamento.

A identificação precoce da deficiência é muito importante para que o paciente não perca sua qualidade de vida e continue realizando suas atividades diárias sem a ajuda de terceiros. Ao identificar a perda de audição, o profissional logo indicará o aparelho ideal e fará o acompanhamento necessário para adaptar a regulagem, volume e condições do aparelho para que o paciente tenha uma vida mais normal possível.

Agora você não tem mais dúvidas sobre a importância do exame auditivo, certo? Então, nada de ficar esperando as dificuldades de ouvir, para só então procurar um fonoaudiólogo. Escolha um profissional de sua confiança e realize esse check-up para garantir que tudo está bem com a sua saúde!

Quer saber mais? Depois de descobrir a importância da realização do exame auditivo, que tal entender também como a perda auditiva ocorre na terceira idade? Baixe agora mesmo nosso guia e fique por dentro desse assunto!

Compartilhar este Artigo