Imitanciometria: tudo o que você precisa saber sobre o exame

Imitanciometria: tudo o que você precisa saber sobre o exame

A imitanciometria, também conhecida por impedanciometria, é um exame complementar à audiometria para avaliação da audição. É um procedimento fácil, de rápida execução e que auxilia os resultados apresentados ao final do diagnóstico médico.

Atua por meio do imitanciômetro, que avalia a mobilidade do tímpano e de pequenos ossinhos que se ligam a ele: o martelo, a bigorna, e o estribo. Além disso, possibilita a verificação da existência de infecções crônicas na região, disfunções tubárias e outros problemas relacionados à audição e ao bom funcionamento do sistema auditivo.

Sabendo da importância desse procedimento, preparamos um post com as principais informações sobre ele, como sua realização, valores, recomendações e os principais problemas que ele diagnostica.

Quer saber mais? Então, continue a leitura e confira!

Você sabe como funciona o sistema auditivo?

Perceber sonoramente uma melodia ou escutar os sons das mais variadas fontes requer o funcionamento ótimo das partes do ouvido. Sendo assim, o som é captado, conduzido e processado pelo córtex auditivo até se ter a real noção da informação sonora.

A captação é feita pelo pavilhão auditivo, também conhecido como orelha e, em seguida, a informação sonora vibra a membrana do tímpano, que está intimamente ligada aos ossículos martelo, bigorna e estribo.

Após a participação dos ossículos, o som será conduzido para o córtex auditivo, localizado no cérebro, por meio do nervo auditivo. É apenas nesse momento que  o indivíduo percebe o som, e todo esse processo demora poucos segundos.

Tudo isso é orquestrado de forma espontânea e inconsciente. Porém, uma vez que a informação seja um aviso de algo perigoso, o organismo se prepara fisicamente para reagir em situações inesperadas.

Por isso, para verificar qualquer alteração nesse processo os especialistas utilizam ferramentas efetivas para identificar o problema após a queixa do paciente ou em virtude de um traumatismo nessa região.

Por que fazer uma imitanciometria?

A imitanciometria é um exame que complementa o diagnóstico do médico e, por isso, deve ser solicitada para essa finalidade. Como o resultado é imediato, é possível traçar os principais objetivos para cura ou controle do problema, tanto em adultos como em crianças com perda auditiva.

Dessa forma, esse exame facilita a tomada de decisão do médico que avaliou o paciente considerando as causas do problema auditivo, o relato do paciente e a história clínica e medicamentosa prévia.

Também serve para alertar sobre problemas auditivos contínuos como o acúmulo de cera, as infecções recorrentes no ouvido e os comportamentos nocivos que podem piorar a situação clínica já instalada.

Como o exame de imitanciometria funciona?

A imitanciometria é um exame auditivo rápido e indolor que pode ser realizado em pessoas de qualquer idade. Possibilita uma avaliação completa e importante a respeito do funcionamento do sistema auditivo.

Além disso, permite que os profissionais e médicos definam qual é a melhor conduta a ser tomada de acordo com as necessidades de cada paciente, abordando o problema de forma completa e precisa.

Para tanto, requer a manutenção preventiva e corretiva do imitanciômetro, a fim de distinguir adequadamente os resultados e evitar que eles fiquem incompletos ou pouco sensíveis para a avaliação em questão.

Como é realizada a imitanciometria?

Como o exame de imitanciometria normalmente é associado à audiometria, leva cerca de 1 hora para ser concluído. É realizado em ambiente silencioso, com o paciente sentado, dentro ou fora da cabine acústica, e acordado, sem qualquer sedação ou preparação com medicamentos.

O profissional responsável insere um fone especial em um dos ouvidos do indivíduo e, no outro, uma pequena sonda que injeta pressão positiva e negativa no canal auditivo. Em seguida, ele realiza a avaliação das condições de funcionamento e integridade da orelha média.

Logo depois, são emitidos alguns estímulos diretamente captados pelo ouvido externo que fazem com que a membrana do tímpano vibre, movimentando os ossículos e transmitindo os sons para o interno, responsável por transportá-los ao sistema nervoso.

Também são testados os reflexos do músculo estapédio, localizado dentro do ouvido. A propagação do som vai depender da flacidez ou rigidez da membrana; por outro lado, a resposta dependerá da intensidade do estímulo e da condição de sua musculatura.

Após isso, os impedanciômetros avaliam as condições desses locais, a capacidade de entender e ouvir os sons ao seu redor e as informações detalhadas de todo o mecanismo auditivo do paciente.

Se for detectada uma perda significativa da audição, o profissional conseguirá avaliar as condições do ouvido, da tuba auditiva, do músculo estapédio e do tímpano do paciente e, finalmente, identificar se o problema é de origem neurossensorial ou condutiva.

Em quais casos esse procedimento é recomendado?

Os casos mais recomendados para serem avaliados pelo exame de imitanciometria são:

  • no tratamento de controle da otite;
  • para confirmar e auxiliar os resultados do exame de audiometria tonal;
  • como pré ou pós-operatório de uma cirurgia na orelha média;
  • na avaliação do ouvido por conta de paralisia facial;
  • para complementar a triagem auditiva em bebês;
  • na detecção de quadros de vertigem;
  • em casos de alergias respiratórias;
  • no rastreio de alguma patologia;
  • na identificação da causa de dores constantes no ouvido;
  • para saber por que algumas crianças em fase de desenvolvimento falam tão alto.

O que ele diagnostica?

Além da perda auditiva, a imitanciometria também pode diagnosticar várias outras complicações. Vejam a seguir quais são elas!

Otite

As otites, também conhecidas como inflamações no ouvido interno, externo ou médio, são causadas por bactérias ou vírus e acometem pessoas de todas as idades. Podem ser graves ou não, com sangramento e secreções na maioria dos casos.

Devido ao caráter infeccioso, requerem o uso de antimicrobianos tópicos ou sistêmicos prescritos pelo médico. Nesse momento é crucial tirar todas as dúvidas sobre o período de tratamento e como pingar as gotas otológicas.

Labirintite

A labirintite é um tipo de doença do ouvido que afeta uma região conhecida como labirinto. Ela prejudica o equilíbrio do paciente e provoca tonturas, vertigens, náuseas, suor excessivo e, até mesmo, perda da audição.

Essa doença atrapalha as atividades diárias e pode impedir o paciente de executar operações que exigem equilíbrio, concentração e destreza, tais como operar máquinas complexas e, até mesmo, dirigir um automóvel.

Zumbido

Também conhecido como acufeno ou tinnitus, o zumbido no ouvido é caracterizado como um ruído muito incomodativo que não é gerado por nenhuma fonte sonora externa. Está diretamente relacionado à perda auditiva e a alguns outros fatores que exigem cuidados especiais e acompanhamento médico.

Pode ser causado por exposição excessiva a ruídos, idade avançada ou excesso de cera e, por isso, a avaliação clínica é fundamental para instituir a melhor estratégia terapêutica que vai desde uma limpeza da região com o profissional até o uso de aparelhos auditivos.

Disfunção da tuba auditiva

A disfunção da tuba auditiva é a incapacidade de regular adequadamente a pressão de ar no interior da orelha média ou drenar com eficácia as secreções. Ocasionalmente, envolve o refluxo de secreções do nariz e da garganta na orelha média.

Esses problemas podem ser decorrentes de uma variedade de alterações fisiopatológicas que, de alguma forma, impedem a abertura e o fechamento normal do local e comprometem todo o processamento do som.

Como se preparar para esse exame?

A única preparação indicada para o paciente que fará o exame de imitanciometria é manter os condutos auditivos totalmente limpos e evitar a exposição a ruídos muito altos e constantes por, no mínimo, 14 horas antes do procedimento. Esse cuidado deve ser tomado principalmente por quem trabalha se expondo a ruídos constantes.

No entanto, cabe ao especialista explicar sobre o procedimento, as condições que porventura possam gerar desconforto, a duração do processo e qualquer problema após a realização desse exame.

Quanto custa uma imitanciometria e onde ela pode ser feita?

Geralmente, a imitanciometria é encontrada em uma faixa que varia entre R$ 40 e R$ 100. Por não ser uma avaliação tão complexa e ter grande demanda no mercado, pode ser realizada facilmente em clínicas e laboratórios conveniados ou pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Se for feita pela rede pública, deverá ser previamente agendada e poderá levar um tempo para ser feita. Além disso, nem todos os municípios oferecem o diagnóstico por esse meio, o que obriga o paciente a procurar na cidade mais próxima.

No entanto, se o caso exigir certa urgência é interessante arcar com os custos do exame nas clínicas privadas ou conveniadas, a fim de evitar a complicação do problema e diminuição da qualidade de vida.

A imitanciometria é um exame  muito importante para a conservação da audição, uma das partes fundamentais do organismo humano. Afinal, sem ela, não conseguiríamos escutar som algum, alterando totalmente nosso modo e qualidade de vida. No entanto, existem situações que demandam esse exame para identificar doenças, condições clínicas severas no ouvido e outras que necessitam de intervenção.

Portanto, procure visitar um médico otorrinolaringologista regularmente para manter a saúde da região auditiva sempre em dia e garantir o bom funcionamento dos ouvidos, combinado? Seu bem-estar agradece!

E aí, gostou de conhecer as principais informações sobre a imitanciometria? Quer mais novidades sobre saúde e bem-estar? Então, assine a nossa newsletter e receba todas as nossas atualizações em sua caixa de entrada!

Compartilhar este Artigo