Perda auditiva leve: por que devo usar aparelho?

Perda auditiva leve: por que devo usar aparelho?

O tratamento para a perda da audição vem avançando a passos largos nos últimos anos. Aparelhos mais confortáveis, menores e artificialmente inteligentes já fazem parte da rotina de muitas pessoas. No entanto, ainda pode haver certa dúvida de quando iniciar o uso desses equipamentos. Afinal, por que usar o aparelho na perda auditiva leve?

Quem pensa que a única utilidade do aparelho auditivo é melhorar a audição, está enganado. Além de poder evitar a progressão da doença, o uso precoce do equipamento melhora a adaptação e a compreensão de vozes. Preparamos, a seguir, tudo o que você precisa saber sobre esse uso na perda auditiva leve. Vamos lá?

Tipos de perda auditiva

Há vários graus de perda auditiva entre os extremos “ouvir bem” e “não ouvir nada”. Para compreendermos o que causa essa diminuição na acuidade auditiva, precisamos compreender um pouco sobre como o som é formado: as vibrações sonoras chegam ao ouvido e passam pelo pavilhão auditivo, alcançando o tímpano. Ele é uma camada bem fina, que vibra facilmente e transmite essa vibração para os três ossículos do ouvido: martelo, bigorna e estribo.

A amplificação do som nesses ossículos transmite o impulso para o ouvido interno, que é onde ocorre a captação nervosa. Nesse local, existe uma estrutura em formato de caracol chamada cóclea, revestida por pequenos cílios; eles estão conectados a terminações nervosas, que levam a informação do som para o cérebro.

Uma alteração em qualquer um desses mecanismos pode gerar a perda auditiva. O tipo mais comum é a perda auditiva sensorioneural, que afeta as estruturas do ouvido interno. Aqueles cílios presentes em sua superfície vão diminuindo com o tempo, causando uma perda auditiva irreversível que piora gradativamente.

Para identificar o grau da perda auditiva, é necessário realizar um exame chamado teste auditivo. Ele identificará até qual intensidade dos sons você não consegue ouvir. Até 25 decibéis consideramos a audição normal. Pessoas com perda auditiva leve não conseguem ouvir de 26 a 40 decibéis: nessa fase, elas começam a ter dificuldade para ouvir o canto dos passarinhos e entender quem fala muito baixo.

A perda auditiva moderada é caracterizada pela incapacidade de ouvir sons de 41 a 70 decibéis. A partir daí, a compreensão da fala se torna mais difícil e ruídos do dia a dia — como latidos de cachorros — já são menos identificados. A perda severa é de 71 a 90 decibéis e, acima desse nível, a perda auditiva é considerada profunda.

Causas da perda auditiva leve

Qualquer doença que afete as estruturas envolvidas na captação das ondas sonoras pode levar a uma perda auditiva leve. Algumas causas — como infecções ou traumas locais — possuem um início muito abrupto dos sintomas: se você já teve uma otite na vida, provavelmente se lembra que, em questão de horas ou dias, a audição piorou muito. Por isso, perdas auditivas leves estão relacionadas, principalmente, com causas crônicas.

Podemos dividir essas causas entre condutivas e sensorioneurais. As condutivas afetam estruturas do ouvido externo ou do ouvido médio. Acúmulo de cera, por exemplo, dificulta a passagem do som pelo conduto auditivo e gera uma perda auditiva condutiva leve. Para as perdas sensorioneurais, a causa mais comum é o próprio envelhecimento: com o passar do tempo, os cílios da cóclea tendem a diminuir e prejudicar a audição.

Isso não significa, é claro, que seja normal perder a audição com o envelhecimento. Outras causas também podem estar associadas com esse processo degenerativo, como o uso de antibióticos e exposição frequente a ruídos. Por isso, o uso de aparelhos auditivos — principalmente nessa faixa etária — também está indicado para a perda auditiva leve.

Por que usar aparelho auditivo para perda auditiva leve

Os estágios iniciais da perda auditiva são críticos para o sucesso do tratamento. Isso ocorre porque, ao enfrentar uma dificuldade na audição, o cérebro passa por um processo chamado de privação auditiva — como ele não consegue processar corretamente sons baixos, a maneira como passa a compreender a fala é modificada.

Por isso, pacientes com uma evolução de anos de perda auditiva podem estranhar o início do uso do equipamento. Nesses casos, não é apenas a audição que está prejudicada; o processamento dos sons no cérebro também está afetado. Quanto mais cedo o tratamento for iniciado, portanto, maiores são as chances de você se acostumar com o aparelho e evitar a progressão da doença.

Além disso, os aparelhos para a perda auditiva leve são muito mais versáteis do que os outros. Como não há uma necessidade de potência muito grande, você pode optar por modelos menores e mais discretos. O melhor exemplo, nesses casos, é o aparelho Pure: com um design minimalista e confortável, ele permite uma audição superior até a de pessoas normais em festas, por exemplo. Esse modelo também conta com uma experiência auditiva binaural e uma conectividade wireless premium.

Outra opção de muito prestígio é o Styletto, da marca Signia. Sendo a escolha de 8 em cada 10 pessoas, ele é acompanhado de uma pequena capa que serve tanto para o carregamento quanto para o transporte. Além da facilidade de carregamento, ele conta com uma integração completa com o smartphone, podendo ser controlado pelo seu aparelho. Sua alta inteligência artificial também é uma referência na transformação da qualidade do som.

Se você conhece alguém que faz uso de aparelhos auditivos, pode ser que tenha uma imagem distorcida desses equipamentos: modelos mais antigos ou com maior necessidade de potência precisam ficar no lado externo do ouvido, muitas vezes, dando a volta no pavilhão auditivo. Em modelos mais atuais, o aparelho fica dentro do conduto auditivo, podendo ser mais leve e fácil de usar em pacientes com perda auditiva leve.

Está à procura desses modelos inovadores? A A&R Aparelhos Auditivos pode ser a solução ideal para o seu problema. Somos especializados em reabilitação auditiva e atendemos desde os casos mais severos até as perdas leves. Contamos com uma equipe multidisciplinar para essa recuperação, com médicos, fonoaudiólogos e técnicos.

Nossos aparelhos auditivos possuem as tecnologias de última linha, que são apreciadas no mundo todo: carregadores portáteis, conexão bluetooth e possibilidade de customização de cores já é uma realidade no mercado de aparelhos auditivos. Se você está enfrentando uma perda auditiva leve, não deixe para depois e comece já o seu tratamento para evitar problemas futuros!

Se gostou de saber sobre a utilidade dos aparelhos para a perda auditiva leve, que tal se aprofundar mais no assunto? Baixe nosso e-book sobre a perda auditiva leve e as suas consequências!

Compartilhar este Artigo