Veja o que não pode faltar na alimentação dos idosos

Veja o que não pode faltar na alimentação dos idosos

Adotar um cardápio saudável e equilibrado é indispensável em qualquer idade. Para os idosos, no entanto, a atenção com a dieta deve ser redobrada, afinal, os alimentos são os principais responsáveis por garantir um envelhecimento com boa qualidade de vida.

O grande problema é que alguns fatores relacionados à terceira idade — dificuldade de mastigação, diminuição do olfato e alterações gastrointestinais, por exemplo — podem prejudicar o prazer em se alimentar. Cabe a família, portanto, ajudar nesse processo.

Foi pensando nisso que escrevemos este artigo com tudo o que você precisa saber sobre a alimentação dos idosos. Você vai descobrir quais são os nutrientes essenciais e entender o que fazer quando um parente querido não quer comer. Acompanhe conosco!

Mas afinal, como deve ser a alimentação dos idosos?

Assim como qualquer pessoa, os idosos precisam de uma dieta adequada às suas necessidades pessoais. Por isso, sempre que possível, é fundamental procurar ajuda de um médico nutricionista.

Isso ocorre porque cada pessoa tem as suas particularidades e isso deve ser levado em consideração no momento de montar o cardápio ideal. Por exemplo: de maneira geral, a gordura é uma substância que não é recomendada para os idosos, já que ela pode possibilitar o aparecimento de doenças cardiovasculares, como o infarto e o AVC.

Por outro lado, a restrição de gorduras não é indicada para aquelas pessoas que apresentam baixo peso ou pouco apetite. Isso porque, nessas situações, a adição de alimentos um pouco gordurosos — desde que não seja em excesso — é uma forma de aumentar o valor enérgico das refeições, o que ajuda o idoso a ganhar peso e ficar mais forte.

Diante disso, é fundamental criar um cardápio diário que considere as necessidades pessoais do idoso, assim como possíveis doenças ou problemas que ele pode apresentar. A seguir, confira alguns dos fatores que podem interferir na alimentação.

Dificuldades de mastigação

Devido a alterações na dentição ou a utilização de próteses mal ajustadas, é comum que algumas pessoas que estão na terceira idade tenham problemas de mastigação. Nesse caso, é aconselhável diminuir ou eliminar certos alimentos duros, como pães de queijo.

Problemas de deglutição

Geralmente causados pela produção insuficiente de saliva, os problemas de deglutição também são comuns nessa fase da vida. Em situações assim, o ideal é umidificar os alimentos, além de adotar uma dieta com consistência pastosa homogênea (creme).

Alterações gastrointestinais

Neste tópico, a alimentação dos idosos e o o cardápio ideal dependerá do tipo de alteração gastrointestinal — prisão de ventre, flatulência, diarreia — que eles apresentam. No caso das pessoas que sofrem com obstipação, por exemplo, o mais indicado é aumentar o consumo de fibras.

Quais são os nutrientes essenciais para o idoso?

Até agora você entendeu que a alimentação do idoso pode variar de acordo com suas particularidades, certo? No entanto, existem certos nutrientes que são indicados para praticamente todas as pessoas.

Cálcio

A osteoporose — perda de massa óssea — é um problema bastante comum na terceira idade. Para evitar o aparecimento da doença, é indispensável consumir alimentos ricos em cálcio, já que o mineral é um dos principais responsáveis por manter os ossos fortes. Veja alguns alimentos ricos na substância:

  • leite e derivados;
  • gergelim;
  • verduras verde-escuras (couve, brócolis, rúcula);
  • quinoa;
  • oleaginosos (nozes, amêndoas, amendoim).

Zinco

Com o passar dos anos, é natural que o sistema imunológico fique enfraquecido. Nesse sentido, o zinco é um excelente aliado. Além de aumentar a imunidade, o mineral tem ação antioxidante, ou seja, ele é capaz de desacelerar o envelhecimento das células. Você pode encontrá-lo em:

  • peixes;
  • carne vermelha;
  • gema de ovo;
  • frutas secas;
  • oleaginosas;
  • arroz integral.

Ferro

O ferro é essencial na formação de uma proteína chamada hemoglobina. Em níveis adequados, ela é a responsável por fornecer energia para o corpo. No entanto, os baixos índices da proteína podem ocasionar a anemia — condição perigosa para os idosos. Portanto, ingerir alimentos ricos em ferro é essencial. Conheça alguns deles:

  • carnes em geral (principalmente as vermelhas);
  • gema de ovo;
  • melado;
  • verduras verde-escuras;
  • cereja;
  • feijão;
  • grão-de-bico.

Vitamina D

Devido à baixa exposição solar, a produção da vitamina D fica prejudicada na terceira idade. No entanto, a substância é fundamental para o metabolismo e absorção do cálcio. É possível encontrar a vitamina em diversos alimentos, como:

  • óleos de peixe;
  • frutos do mar;
  • gema de ovo;
  • leite;
  • fígado;
  • cevada;
  • salmão;
  • sardinha.

No entanto, atenção: o consumo excessivo de vitamina D pode levar a concentração de cálcio no organismo e, em excesso, a condição causa cálculos renais e constipação intestinal. Por isso, tenha cautela e procure um nutricionista sempre que for necessário.

Potássio

O potássio ajuda a diminuir os níveis de sódio do organismo e reduzir o risco de surgimento de diversas doenças, como hipertensão arterial e derrame. Além disso, em doses adequadas, os alimentos ricos no nutriente ajudam a combater à prisão de ventre. O potássio pode ser encontrado em alimentos como:

  • banana;
  • soja;
  • damasco;
  • abacate;
  • iogurte;
  • ameixa;
  • melancia;
  • feijão;
  • ervilha.

Ômega 3

O Ômega 3 estimula a comunicação entre as células — a capacidade de receber e enviar sinais elétricos ao cérebro. Com isso, algumas pesquisas têm relacionado o seu consumo com a prevenção de doenças, como mal de Alzheimer, Parkinson e depressão.

Atualmente, é possível encontrar cápsulas de Ômega 3 nas farmácias. No entanto, os alimentos continuam sendo as principais fontes da substância, como:

  • sardinha;
  • salmão;
  • atum;
  • óleo de peixe;
  • chia;
  • linhaça;
  • nozes;
  • arenque.

Vitaminas do complexo B

As vitaminas B1, B6, B12 e ácido fólico trazem inúmeros benefícios para a alimentação dos idosos e de seus organismos, como fortalecimento do sistema imunológico e melhora no funcionamento do cérebro, pois elas protegem os tecidos nervosos contra a oxidação. Portanto, o consumo regular de alimentos ricos no nutriente é essencial. É possível encontra-las em:

  • cevada;
  • gérmen de trigo;
  • sementes de girassol;
  • castanha do pará;
  • fígado;
  • banana;
  • salmão;
  • queijo cottage;
  • ostras;
  • arenque.

O que fazer quando o idoso não quer se alimentar?

Você descobriu o que não pode faltar na alimentação das pessoas da terceira idade. No entanto, o idoso não quer comer. Em situações assim, o que fazer?

Em primeiro lugar, é importante observar se a comida está adequada às condições de mastigação e deglutição do idoso. Se for preciso, altere a textura dos alimentos. É possível fazer isso amassando os ingredientes com o garfo, por exemplo.

Caso não seja esse o problema, faça com que as refeições tenham mais cor, sabor, formas, texturas e aromas para aumentar o apetite. Se a pessoa tiver condições físicas, também é aconselhável praticar algum exercício para estimular a vontade de comer. Em todo o caso, não deixe de procurar ajuda profissional!

Gostou do nosso artigo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais para que seus amigos também descubram o que não pode faltar na alimentação dos idosos!

 

Compartilhar este Artigo