Como lidar com pessoas com deficiência auditiva? Entenda!

Como lidar com pessoas com deficiência auditiva? Entenda!

É comum que as pessoas sem deficiência fiquem confusas quando lidam com pessoas com deficiência auditiva. Isso é normal, e ninguém deve se sentir mal por isso. A melhor forma de resolver o problema é buscar informação e descobrir como se portar nessa situação.

Algumas ações simples melhoram a comunicação e fazem com que a pessoa com deficiência auditiva se sinta incluída no meio social, reconheça que pode interagir sem constrangimentos e identifique uma melhora no seu bem-estar e na sua qualidade de vida.

Por isso listamos, neste post, algumas das melhores práticas para lidar com pessoas com deficiência auditiva. Acompanhe:

Atente-se à forma como identifica a pessoa

O 1º passo consiste em se atentar para as palavras utilizadas para se referir à pessoa. O termo atual mundialmente aceito e que deve ser utilizado é “pessoa com deficiência” (auditiva, visual, física ou intelectual), quando se fala com a própria pessoa ou se refere a ela para terceiros.

O termo “surdo” também pode ser utilizado sem problemas.

Outro fator muito importante é o cuidado que deve ser tomado para que termos pejorativos ou depreciativos nunca sejam utilizados, como:

  • aleijado;
  • defeituoso;
  • deficiente;
  • excepcional;
  • incapaz;
  • inválido;
  • mongol;
  • e retardado.

Não tenha medo de se comunicar

Por mais que seja uma experiência nova que foge da sua zona de conforto, não hesite nem tenha medo de se comunicar com uma pessoa com deficiência auditiva.

Quando você fica com receio de falar com essa pessoa, faz com que ela ache que você tem medo dela.

Muitas vezes, as pessoas surdas são vistas como tímidas ou antipáticas, mas o que geralmente acontece é que elas não têm abertura das outras pessoas para se comunicar, e acabam permanecendo mais solitárias.

A proatividade das pessoas sem deficiência é muito importante para iniciar uma conversa.

Utilize a fala a seu favor

Para iniciar uma interação e chamar a atenção da pessoa com deficiência auditiva, é preciso utilizar alguma forma diferente para chamá-la, como um sinal tátil ou visual. Abane a mão ou dê um leve toque no ombro.

Fale devagar e de frente para a pessoa para que ela possa fazer a leitura labial sem dificuldade. Se for necessário olhar para o lado em algum momento, faça uma pausa e então volte a falar para que a pessoa não perca uma sílaba ou uma palavra da sua fala.

O volume da voz vai depender do grau de perda auditiva da pessoa. Inicie falando em tom normal e perceba se ela tem dificuldade ou pergunte se o tom está adequado. Não adianta gritar se a pessoa tem perda severa ou total.

Lembre-se de que não é preciso articular demais as palavras ou separar todas as sílabas. Outro cuidado importante é o de não falar mastigando, pois a mastigação é um ruído que atrapalha muito a leitura labial.

Seja expressivo

A melhor forma de se comunicar com as pessoas com deficiência auditiva é com o uso de diversos gestos, expressões faciais e movimentos corporais. As pessoas surdas ou com alguma perda auditiva têm dificuldade ou não conseguem perceber as mudanças sutis no tom de voz, que são utilizadas para expressar raiva, alegria, tristeza, frustração, sarcasmo etc.

Essas outras formas de expressão farão com que ela compreenda o que você quer comunicar sem que você tenha que explicar com palavras.

Lembre-se também de manter o contato visual durante toda a conversa, pois, se você desviar o olhar, a pessoa pode achar que a interação terminou.

Não relacione a deficiência com intelecto

Uma das piores gafes que as pessoas sem deficiência podem cometer é a de relacionar a deficiência auditiva com problemas no intelecto (o que, infelizmente, também acontece no caso de outras deficiências).

A surdez ou a perda auditiva não tem relação com a diminuição da capacidade intelectual. A pessoa tem uma inteligência normal, a não ser que ela apresente alguma outra alteração que afeta o intelecto ou não recebeu a educação adequada.

Por isso, não é preciso se preocupar se a pessoa não vai conseguir entender algo.

Não faça suposições

As pessoas sem deficiência que não convivem com pessoas com deficiência auditiva podem ter algumas suposições e achar que certas características são verdades para todos os surdos por não conhecerem de perto a sua realidade.

Não assuma nada antes de conversar com a pessoa. Isso pode soar como um preconceito, e ela pode se sentir ofendida.

Algumas suposições que devem ser evitadas:

  • nem toda pessoa surda também é muda. Algumas nunca aprenderam a falar, outras falam com dificuldade e outras falam bem;
  • nem todos as pessoas com deficiência auditiva falam a Língua Brasileira de Sinais (Libras), principalmente aquelas que fazem bem a leitura labial e conseguem se comunicar com a fala do outro;
  • os surdos não casam apenas entre si. Há muitos casais nos quais uma pessoa tem a deficiência e a outra, não.

Pergunte e tenha o coração aberto

Interagir com uma pessoa com deficiência auditiva é uma experiência diferente que pode ser um pouco difícil no início para algumas pessoas. Alguns surdos não têm uma boa dicção, e há uma certa dificuldade para compreendê-los.

Nessas horas, não exite em perguntar novamente e expressar que não entendeu. As pessoas surdas sabem que nem sempre serão entendidas no 1º momento e não se sentirão mal em repetir.

Alguns preferem o uso das libras; outros, a comunicação escrita; outros, o uso de sinais e linguagem corporal; outros, a comunicação verbal com leitura labial. Pergunte à pessoa como ela prefere se comunicar, evite ficar ansioso e respeite a forma como a pessoa interage.

É dever de todos buscar formas de incluir socialmente as pessoas com deficiência auditiva para que elas se sintam pertencentes à sociedade e possam viver sem tantas dificuldades.

Não é preciso fingir que a pessoa não tem uma deficiência, e sim aprender a se comunicar de uma forma que ela entenda e se sinta entendida.

Se você gostou deste post sobre pessoas com deficiência auditiva, aproveite para compartilhá-lo nas suas redes sociais. Ajude outras pessoas a aprenderem a lidar com esse assunto tão importante!

Compartilhar este Artigo