Treinamento auditivo: o que é e quais as suas vantagens?

Treinamento auditivo: o que é e quais as suas vantagens?

O treinamento auditivo é considerado fator indispensável na adaptação do aparelho. Normalmente, antes de conversar com o fonoaudiólogo, as pessoas pensam que apenas adquirir um aparelho auditivo de alta tecnologia já é suficiente para que o indivíduo se adapte a ele. Mas, na realidade, a história é bem diferente.

Muitos usuários sentem dificuldade em utilizar o aparelho, pois não estão acostumados a usá-lo nem preparados para lidar com as situações decorrentes de seu uso. Nesse sentido, o treinamento auditivo vem para ajudar na adaptação e melhorar a qualidade de vida.

Para deixar esse assunto mais claro, neste artigo vamos explicar o que é treinamento auditivo e quais são as suas principais vantagens para quem sofre com a perda da audição. Acompanhe!

O que é treinamento auditivo?

O treinamento auditivo nada mais é que um conjunto de exercícios acústicos realizados para ativar o sistema auditivo do indivíduo e demais sistemas que estão relacionados a ele para, assim, melhorar a percepção auditiva. Por meio desse treinamento, os comportamentos auditivos e as bases neurais são melhorados.

As atividades realizadas são consideradas desafiadoras, pois seu principal objetivo é liberar a produção de neurotransmissores que facilitam todo o processo de aprendizagem.

Esse treinamento é realizado com o auxílio de cabine acústica, audiômetro e softwares desenvolvidos exclusivamente para essa função. Os profissionais responsáveis pelo treinamento auditivo são os fonoaudiólogos.

Qualquer pessoa pode fazer o treinamento, que vai servir para voltar a treinar certas habilidades do cérebro que podem ter se perdido com a falta de audição. Mesmo que a pessoa não tenha tanta dificuldade na adaptação a um aparelho ou haja queixas de entendimento, ela vai relembrando sons que perdeu e não ouve mais.

Com o desenvolvimento da vida, perdemos primeiro a audição dos sons agudos mais finos, como pássaros cantando, coisas caindo na cozinha etc. Sendo assim, são esses sons que causam mais estranhamento ou desconforto para quem começa a usar um aparelho auditivo. Eles dificultam a readaptação justamente porque são os primeiros que as pessoas perdem com o tempo.

Como o indivíduo passou longos períodos com a perda sem saber ou porque não quis usar o aparelho, o cérebro se esquece desses sons e, por esse motivo, é causado um estranhamento quando volta a escutar com o aparelho.

Quais são as suas vantagens?

Poder ouvir melhor, melhorar a audição, diferenciar sons (volumes e frequências), ajudar no processo de localização sonora, fazer distinção de sons finos e grossos são apenas algumas das principais vantagens do treinamento auditivo.

Além desses benefícios, o treinamento auditivo também ajuda a:

  • estimular a concentração;

  • trabalhar a memória;

  • melhorar a adaptabilidade, facilitando a habilidade de aprender rapidamente e com eficiência;

  • melhorar o domínio cognitivo e os sistemas sensoriais.

Todas essas vantagens vão auxiliar a pessoa que sofre com a perda auditiva a prestar mais atenção no que os outros estão falando enquanto outra história é contada em seu outro ouvido. Inclusive será possível memorizar sons e frequências.

Com o passar do tempo, esses exercícios disponibilizados no treinamento serão capazes de modificar as estruturas cerebrais e, com isso, as redes neurais — que são responsáveis pelo processamento auditivo — aumentam e, ao mesmo tempo, são fortalecidas.

Quando o paciente tem muita dificuldade no processamento/entendimento, é encaminhado para fonoaudiólogos especializados em treinamento auditivo central.

Como o treinamento auditivo pode estimular a audição?

Existe um processo do cérebro chamado de neuroplasticidade. Com a ajuda do treinamento auditivo, o cérebro vai reaprendendo a fazer as conexões que perdeu. Assim, a pessoa que tem deficiência auditiva consegue melhorar:

  • a capacidade de ouvir em meio a um ambiente com som competitivo, como em restaurantes, shoppings, entre outros lugares que têm aglomerados de pessoas falando ao mesmo tempo;

  • a capacidade de ignorar sons que vêm de um lado e ouvir o do outro — e vice-versa —, o que é chamado de escuta direcionada;

  • a região do cérebro responsável pela percepção da fala e do ritmo.

Atualmente, existem algumas empresas especializadas em reabilitação auditiva que fornecem esse treinamento, como é o caso da A&R Aparelhos Auditivos, a qual disponibiliza o eArena, um DVD de treinamento auditivo. Ele, normalmente, é oferecido no plano de benefícios Best Fit, o qual é disponibilizado para pacientes que sentem maior dificuldade no período de adaptação do aparelho.

O processamento auditivo pode estar alterado em quem ouve normalmente, mas é mais comum que a pessoa com perda auditiva tenha mais dificuldade nessas habilidades. Assim, o treinamento vai facilitar, inclusive, a rotina profissional do indivíduo, por exemplo, melhorando a sua memória, atenção e localização, que são as habilidades que mais se prejudicam com a perda.

Quando o profissional percebe que o usuário está ouvindo, mas ainda tem muita dificuldade em indicar de onde está vindo determinado som ou quando ele fala que determinado som está incomodando muito, os ajustes no aparelho são feitos, mas, às vezes, também é questão de readaptar o cérebro.

Há um tempo para a readaptação, mas outros fatores influenciam esse processo, como idade, comprometimento com o treinamento e com o uso do aparelho. O treinamento convencional gira em torno de 8-10 sessões semanais para ter um benefício efetivo. Quando a pessoa faz todas as sessões e realiza os exercícios passados pelo fonoaudiólogo, já é possível apresentar grande melhora.

O tempo pode precisar ser prolongado, dependendo da idade da pessoa, pois o processo de neuroplasticidade pode se tornar um pouco mais demorado. Mesmo as pessoas que têm a audição preservada, podem realizar o treinamento para ajudar na concentração e compreensão.

Existem muitos casos em que existe dificuldade de entender algo, inclusive crianças. Nessas situações, isso não significa perda de audição ou atraso de linguagem necessariamente, mas pode ser dificuldade de processar o som que está chegando ao cérebro.

Como você pode perceber ao longo deste texto, o treinamento auditivo é de suma importância para garantir melhor qualidade de vida de todos aqueles não conseguem ouvir bem. Por isso, procure um profissional de confiança para assegurar os resultados positivos do tratamento.

Por falar em profissionais de confiança, que tal contar com uma equipe especializada na reabilitação auditiva? Então, entre em contato conosco para conhecer nossos serviços!

Compartilhar este Artigo