Perda auditiva e depressão: entenda a relação e como lidar com esse problema

Perda auditiva e depressão: entenda a relação e como lidar com esse problema

Ao contrário do que muitos pensam, há uma ligação direta entre perda auditiva e depressão. Isso ocorre tendo em vista que a redução da audição dificulta as interações sociais, tanto em reuniões de trabalho quanto em encontros com os amigos e os familiares, o que pode ocasionar o afastamento do indivíduo em diversas situações.

Assim, essas pessoas são afetadas por limitações funcionais que geram mudanças bruscas na rotina, como o isolamento social, a dificuldade em se relacionar, o surgimento de outros problemas de saúde, entre outros. Todas essas limitações podem ocasionar um quadro sério de depressão.

Segundo uma pesquisa realizada pela National Health and Nutrition Examination Survey, foi constatado que a perda da audição está ligada à depressão principalmente entre mulheres e pessoas com menos de 70 anos. Ou seja, se o problema auditivo não for devidamente abordado, é possível o surgimento de um quadro de transtorno depressivo.

Ficou interessado e quer saber mais sobre a relação entre a perda auditiva e a depressão? Então, acompanhe a leitura do texto que preparamos especialmente para você!

O que liga a perda auditiva à depressão?

A perda auditiva pode levar à depressão por uma série de motivos. Entenda cada um dos fatores a seguir.

Dificuldade de relacionamento

A pessoa com problema auditivo fará de tudo para evitar ambientes muito barulhentos e encontros com os amigos e familiares. Logo, a sua vida social, com o tempo, vai se reduzindo e a dificuldade de se relacionar vai se agravando.

É preciso estar atento ao relacionamento no trabalho também, uma vez que a audição diminuída faz com que a pessoa seja menos produtiva, refletindo diretamente no seu desempenho, no alcance das suas metas estipuladas e no desenvolvimento de sua carreira. Isso acontece, pois é mais difícil participar de reuniões, interagir em conversas no telefone e nas videoconferências, e a socializar com os colegas de trabalho e, até mesmo, com o chefe.

Além disso, ficar muito tempo forçando a atenção para entender a comunicação que está acontecendo entre todas as pessoas é uma situação que promove o estresse e o cansaço físico e mental. Com isso, o indivíduo prejudicado por esse problema estará cada vez mais sem energia, ânimo e disposição, o que acarretará em perda de eficiência laboral e, consequentemente, em uma pessoa com autoestima e autoconfiança no trabalho debilitadas.

Isolamento

O isolamento ocorre tendo em vista que a comunicação com as pessoas fica cada vez mais complicada. Afinal, a capacidade reduzida para ouvir faz com que seja difícil entender as conversas em ambientes sociais, como no trabalho ou na rua, e, até mesmo, em casa com os familiares.

Ao não escutar o que está sendo debatido, a pessoa com deficiência auditiva, muitas vezes, tem vergonha em pedir para que os outros repitam o que foi dito de forma mais clara e em um volume de voz mais alto. Como consequência, tem-se o isolamento dessa pessoa que prefere ficar só e não ter que passar por uma situação que pode ser vista como de vulnerabilidade.

O afastamento social também pode ser observado em algumas atividades comuns do dia a dia, desde a uma simples conversa ao telefone, a não escutar música no carro. Uma outra situação bastante comum é a escolha de não assistir a um filme com a família, por ser mais difícil escutar as falas na televisão em um volume baixo para mediano.

Depressão

Vale ressaltar que o isolamento, com o tempo, gera sentimentos e pensamentos negativos, como angústia, irritabilidade e ansiedade, que levam à depressão. Portanto, é preciso agir o quanto antes para evitar a recorrência desse quadro de insatisfação e tristeza.

Todas as situações de interação pessoal também geram estresse, tornando a pessoa desagradável aos olhos dos outros em vários casos, o que dificulta a convivência diária em casa, no trabalho e em relacionamentos interpessoais. Ou seja, a perda auditiva deve ser tratada o quanto antes com muita seriedade para evitar que os transtornos depressivos se instalem.

Outros problemas de saúde

A irritabilidade e o estresse constantes, por ter que lidar com a dificuldade de escutar, geram outros problemas para a saúde, como a possibilidade de diversos tipos de câncer e o desenvolvimento de doenças cardíacas. Assim, prejudicando a qualidade de vida do indivíduo.

As pessoas que se tornam socialmente isoladas por conta da perda auditiva ainda podem sofrer com demência, tendo em vista a falta do estímulo que mantém a função cerebral em atividade e promove a atuação da função cognitiva. Portanto, trazendo mais problemas para quem sofre com essa deficiência e não busca uma solução.

Como lidar com esse problema?

Agora que você já entendeu melhor a relação entre perda auditiva e depressão, confira as soluções para lidar com o problema.

Aparelhos auditivos

Os aparelhos auditivos podem ser grandes aliados para quem tem deficiência auditiva, já que proporcionam mais qualidade de vida, possibilitando a interação social sem complicações, o que facilita as atividades do dia a dia e, ao mesmo tempo, dificulta o isolamento da pessoa.

Vale ressaltar que há empresas especializadas hoje em dia que atuam com a reabilitação auditiva por meio de aparelhos auditivos de alta tecnologia. Eles atendem a perda da audição leve, moderada, severa e profunda. Ou seja, há a possibilidade da melhora significativa de qualquer grau de perda auditiva.

Terapia

Fazer terapia é uma forma de entender melhor o que esse tipo de deficiência causa na pessoa. Assim, modificando a forma como ela encara as situações difíceis que geram tristezas e inseguranças. Com a ajuda de um psicólogo também é possível encontrar meios de contornar a ansiedade e os momentos de estresse durante o dia a dia, seja em casa ou depois de um expediente agitado no trabalho.

Viu como é importante entender melhor as consequências da perda auditiva na vida de uma pessoa? Para evitar que qualquer problema se instale como reflexo dessa deficiência, deve-se tomar as medidas necessárias o mais rápido possível. Portanto, procure os tratamentos adequados o quanto antes para voltar a ter uma vida plena, sem irritação, isolamento e outros sentimentos negativos.

Agora que você já entendeu melhor a relação entre perda auditiva e depressão, que tal aprender como lidar com idosos depressivos? Confira o nosso post e saiba mais a respeito!

Compartilhar este Artigo