Entenda qual a relação entre o estresse e a perda auditiva

Entenda qual a relação entre o estresse e a perda auditiva

Toda pessoa que sofre com problemas auditivos sabe como isso é difícil lidar com essa situação. Não conseguir compreender o que os outros estão falando dificulta muito a comunicação, a criação de vínculos e até relacionamentos com antigos amigos e familiares. Além disso, para quem tem zumbido no ouvido, a experiência pode ser ainda mais desagradável. Como consequência, tudo isso contribui para a criação de uma relação direta entre estresse e perda auditiva.

Portanto, se você está cada vez mais estressado devido à dificuldade de escutar, este é o post certo para você! Aqui, elencamos as informações mais importantes sobre a surdez e como ela desencadeia o estresse, medidas de prevenção e formas eficientes para solucionar esse problema. Acompanhe!

Como acontece a perda da audição?

Vivemos em uma sociedade cada vez mais barulhenta. É uma mistura de buzina, moto, sirene, TV, rádio, fones de ouvidos com o som muito alto, máquinas de construção, avião etc., o que torna a tarefa de fugir da poluição sonora uma missão quase impossível.

Como consequência, é crescente o número de pessoas que estão começando a apresentar problemas de audição e surdez. A exposição exagerada aos sons altos comprometem a sua saúde auditiva.

Os níveis adequados de exposição sonora giram em torno de 55 decibéis durante o dia e de 50 decibéis no período noturno. Normalmente, um portador de problemas auditivos apresenta histórico de exposição a ruídos bem superiores ao indicado, acima dos 85 decibéis.

Mas não pense que é difícil estourar esses limites: o barulho produzido pelo avião, por exemplo, é de 90 decibéis, a buzina de um carro chega a 110, enquanto um show de rock ultrapassa os 120.

Embora nem todo mundo responda da mesma forma aos ruídos, uma coisa é certa: o número de casos de surdez estão aumentando, o que torna essa questão alarmante, visto que pode desencadear consequências sérias para qualidade de vida de uma pessoa.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 10% da população mundial sofre com problemas auditivos, o que, no Brasil, representa cerca de 30 milhões de pessoas.

Qual a relação entre estresse e perda auditiva?

A maioria das pessoas que sofrem com a perda da audição apresentam como primeiro sinal a dificuldade para escutar as frequências agudas. Assim, surgem problemas para compreender a fala dos outros e o paciente gasta muita energia para conseguir decifrar o que é dito. Isso resulta no comprometimento social no âmbito familiar, entre amigos e até no trabalho, uma situação muito estressante para o paciente.

Passar por esse tipo de conflito diariamente, somado à falta de empatia de pessoas com as quais se comunica, contribui para a piora do quadro, em que o estresse pode evoluir para condições extremas, como a depressão.

Além disso, outra fonte de estresse aos devido problemas de audição é o zumbido. Pessoas que passam por essa experiência, seja ocasionalmente ou por longos períodos de tempo, relatam níveis elevados desse sintoma, o que afeta a saúde mental, física e o seu bem-estar.

Viver estressado não faz bem para o organismo, pois altera a concentração de hormônios, aumenta a pressão arterial e pode até provocar problemas sérios, como Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Como prevenir a surdez e suas consequências negativas?

Para evitar que a sua audição seja prejudicada cada vez mais pelo excesso de barulhos do dia a dia e que esse fato provoque impactos significativos na sua vida, é preciso ficar atento a algumas dicas. Conheça, a seguir, quais são elas.

Não negligencie a perda auditiva

Você já percebeu os primeiros sinais de dificuldade para entender o que os outros estão dizendo, mas ainda não procurou um médico otorrinolaringologista? Pois saiba que você está colocando a sua saúde em risco.

A perda auditiva é cumulativa, ou seja, a surdez vai avançando progressivamente, enquanto medidas de prevenção adequadas não são tomadas para contê-la. Por isso, a consulta com o especialista é indispensável, o qual vai pedir um exame chamado audiometria para avaliar o seu quadro e detectar se algum dano na audição já está presente.

Caso positivo, o profissional vai passar algumas orientações que devem ser seguidas à risca para evitar que esse dano se agrave e comprometa ainda mais a sua audição. Entre elas está o uso de protetores auriculares caso você trabalhe em locais muito barulhentos, como aeroportos, metrô, obras e indústrias, e evitar fatores de risco, como utilizar fones de ouvido.

Para pacientes com perda de audição mais intensa, o médico vai prescrever o uso de um aparelho auditivo. Esse equipamento é um aliado poderoso na recuperação da capacidade auditiva e qualidade de vida.

Siga o tratamento

De nada adianta consultar com o otorrinolaringologista e receber as recomendações adequadas se você não segui-las corretamente.

Cumprir o tratamento é fundamental para conter o avanço da surdez e evitar que ela prejudique a sua rotina, devido ao estresse e problemas nos relacionamentos.

Por isso, siga o tratamento indicado. Use protetores auriculares e afaste-se de barulhos e condições que podem piorar o seu quadro.

Quanto ao aparelho auditivo, é muito importante que você encontre o modelo ideal, que se adapte às suas necessidades e características. Somente assim é possível aumentar as taxas de sucesso quando o assunto é adaptação.

Procure formas de desestressar

No seu caso, se você está sofrendo com o estresse como consequência da perda auditiva, é importante encontrar meios de controlar esse sintoma e relaxar. Você pode começar a fazer uma atividade física, como corrida ou natação, ou iniciar a prática de yoga e meditação, que são ótimas alternativas para reduzir esse sintoma.

E aí, gostou de descobrir qual é a relação entre estresse e perda auditiva? Como você pode ver ao longo deste artigo, procurar um especialista logo após a manifestação dos primeiros sintomas de surdez é essencial para ter um diagnóstico e receber o tratamento adequado para solucionar o seu problema.

Agora, que tal ajudar todos os seus amigos que sofrem com perda auditiva a entender melhor sobre o desenvolvimento dos sintomas de estresse? Compartilhe este post nas suas redes sociais e espalhe esse conhecimento, e não se esqueça de nos seguir no Facebook, Instagram e YouTube

Compartilhar este Artigo